1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma indica técnico para Agricultura e deve concluir reforma nesta sexta

Tânia Monteiro e Vera Rosa - O Estado de S. Paulo

12 Março 2014 | 23h 02

Secretário de Política Agrícola da pasta e recém filiado ao PMDB, Neri Geller deve tomar posse nesta sexta

Brasília - Diante da rebelião liderada pelo PMDB, a presidente Dilma Rousseff decidiu indicar técnicos para os dois ministérios ocupados pelo partido na Esplanada. Para a Agricultura, Dilma escolheu Neri Geller, atual secretário de Política Agrícola da pasta e recém filiado ao PMDB.

A posse de Geller, amigo do senador Blairo Maggi (PR-MT), está prevista para esta sexta-feira, 14. Ele entrará na vaga de Antônio Andrade, que deve ser vice na chapa do petista Fernando Pimentel (PT) ao governo de Minas Gerais.

Geller e Andrade se reuniram na noite desta quinta com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. Depois, os dois foram ao gabinete do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Embora não fosse a primeira opção da bancada do PMDB, Geller foi considerado "uma boa indicação" pelo líder do partido na Câmara, Eduardo Cunha (RJ). "Tenho o aval do setor agrícola", afirmou o novo ministro.

"Os ânimos não ficarão mais acirrados. Se fosse indicado outro nome, talvez a bancada pudesse ficar contrariada", emendou Antônio Andrade.

Para o Ministério do Turismo, outra cadeira hoje ocupada pelo PMDB, o mais cotado é Ângelo Oswaldo de Araújo Santos, ex-prefeito de Ouro Preto e amigo de Pimentel. Atualmente, Santos preside o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Na tentativa de esvaziar a crise política no Congresso, Dilma pretende concluir a reforma ministerial nesta sexta. Apesar de o PMDB ter se recusado a indicar os nomes que ela queria, a reforma não foi feita à revelia do partido, tanto que o vice, Michel Temer, foi consultado.

Apadrinhado pelo governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), o atual ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, permanecerá no cargo. A pasta, que foi controlada pelo PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos -- pré-candidato à Presidência -- era cobiçada pelo PMDB.

O presidente da Petrobrás Biocombustível, Miguel Rossetto (PT), será confirmado hoje ministro do Desenvolvimento Agrário no lugar de Pepe Vargas. Vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi irá para o Ministério das Cidades na vaga de Agnaldo Ribeiro (PP).

COLABORARAM RICARDO DELLA COLETA E EDUARDO BRESCIANI