1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma entregará um Brasil pior do que recebeu, diz Campos

NIVALDO SOUZA - O Estado de S. Paulo

15 Junho 2014 | 12h 13

"Pela primeira vez em 20 anos, o Brasil será entregue pior do que foi entregue antes", afirmou o pré-candidato do PSB à Presidência

O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, afirmou neste domingo que a presidente Dilma Rousseff entregará a seu sucessor, caso perca as eleições, o Brasil "pior" do que encontrou quando assumiu em 2010. Ele citou a economia, a segurança pública e a saúde como áreas que tiveram retrocesso na gestão Dilma. "Nos últimos 20 anos o Brasil vinha melhorando, embora nem na velocidade nem no jeito que a gente queria, mas o fato é que o presidente Itamar entregou o País ao presidente Fernando Henrique Cardoso melhor do que ele encontrou. O Fernando Henrique entregou o Brasil melhor para o Lula e o Lula para Dilma. Pela primeira vez em 20 anos, o Brasil será entregue pior do que foi entregue antes", disse.

Campos atacou o "velho presidencialismo de coalizão, juntando velhas raposas que já roubaram o que puderam do sonho brasileiro" ao que pretende "governar com os sérios, os capazes, os competentes".

O PSB formalizou o senador Rodrigo Rollemberg como candidato ao governo do Distrito Federal, em uma chapa composta com o PDT, que tem o deputado José Antônio Reguffe como candidato ao Senado.

A ex-senadora e ex-ministra Marina Silva, candidata à vice de Campos, participou da convenção destacando a votação obtida por ela em 2010, quando disputou o Palácio do Planalto. "Em 2010, Brasília me deu a maior votação já dada a um candidato a presidente da República em toda a história do Brasil", disse.

Marina disse, ainda, em referência ao governo do petista Agnelo Queiroz, que Brasília não é um "bom espelho" do que o Brasil gostaria de ver. "Como podemos dar um bom exemplo para o Brasil se na capital do nosso País é todo o tempo denúncia de corrupção, de má gestão? É Brasil olhando para sua capital e não vendo um bom espelho", afirmou.