1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma encerra o dia sem anunciar troca de ministros

TÂNIA MONTEIRO E RENATA VERÍSSIMO - Agência Estado

05 Fevereiro 2014 | 21h 49

Apesar de toda a movimentação ocorrida no Palácio da Alvorada na tarde desta quarta-feira, 5, com a presidente Dilma Rousseff recebendo pessoas notadamente ligadas ao xadrez da reforma ministerial, nenhum novo nome será anunciado nesta quarta dentro da segunda etapa da reforma, segundo informações do Planalto.

Dilma (que colocou o PMDB na geladeira) recebeu, às 15 horas, a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, cotada para assumir a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Às 17 horas, foi a vez de Dilma conversar com o ministro interino da Integração Nacional, Francisco José Coelho Teixeira, que é apoiado pelo PROS. Há várias hipóteses para a Integração, pasta que também é reivindicada pelo PMDB. Teixeira, que é ligado ao PROS, também poderia permanecer no governo com mandato-tampão, se este fosse desejo do PROS.

Depois, foi a vez da presidente se reunir, às 17 horas, por mais de uma hora, com Gilberto Kassab, presidente do PSD, que poderá receber mais um Ministério, já que Afif Domingos, que está na Secretaria de Micro e Pequenas empresas, é considerado da cota pessoal de Dilma. Afif, no entanto, chegou a ter seu nome cotado para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Durante o dia, Dilma também conversou com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; com o ministro da Educação, José Henrique Paim Ministro da Educação; e encerrou o dia recebendo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.

Já no Broadcast

Fazenda

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, convidou Paulo Caffarelli para ser o novo secretário executivo da pasta. Atualmente, Caffarelli é vice-presidente de Atacado, Negócios Internacionais e Private Bank do Banco do Brasil. Ele assumirá o cargo nos próximos dias e teria sido escolhido por ter bom trânsito, tanto no setor privado quanto dentro do próprio governo. Ele também tem participado das discussões sobre financiamento às concessões públicas, programa prioritário para o governo federal.

A Secretaria Executiva do ministério estava sendo ocupada interinamente por Dyogo Oliveira desde o ano passado, após a saída de Nelson Barbosa do cargo. Dyogo continuará como secretário executivo adjunto da Fazenda, cargo que já ocupava antes mesmo da saída de Barbosa.