1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Dilma elogia Congresso por aprovação de lei sobre Ciência e Tecnologia

- Atualizado: 11 Janeiro 2016 | 13h 47

Para a presidente, atitude da Casa mostra compromisso com retomada do crescimento do País

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff aproveitou a cerimônia de sanção do Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação nesta segunda-feira, 11, para fazer um afago ao Congresso Nacional e destacar que investimentos em Inovação e Tecnologia podem ajudar o País a voltar a crescer. "Ao aprovar por unanimidade a legislação, o Congresso Nacional mostrou mais uma vez compromisso com as reformas necessárias e com a retomada do crescimento econômico na situação que vivemos", disse, em evento no Palácio do Planalto.

Ao citar o os relatores do projeto na Câmara e no Senado, o deputado Sibá Machado (PT-AC) e o senador Jorge Viana (PT-AC), a presidente agradeceu a todos os congressistas "por mais esse esforço suprapartidário para criar as bases para que a inovação se torne motor do nosso desenvolvimento."

Depois de lembrar de uma série de conquistas durante o seu governo e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma afirmou que o "projeto" de País pensado pelo PT precisa ser "renovado" para que o Brasil volte a avançar.

A presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de sanção do Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação
A presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de sanção do Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação

"A cada passo que damos, novos desafios se colocam em nosso caminho. Se colhemos boas conquistas, sabemos que é necessário fazermos mais. Por isso temos a convicção de que esse projeto precisa ser renovado, para conduzir o Brasil a um novo ciclo de desenvolvimento", disse.

Um dos objetivos do Marco Legal é facilitar a aproximação de empresas e universidades, incentivando mais pesquisa, desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no País. A presidente destacou que, apesar de o Brasil ter uma "extraordinária capacidade de produzir conhecimento", infelizmente, esse conhecimento ainda não tem se traduzido em inovação produtiva integralmente. Segundo Dilma, agora com a nova legislação será possível transformar "ciência básica em inovação" e "inovação em competitividade, gerando um novo ciclo de desenvolvimento econômico".

Dilma afirmou que o novo marco legal dá mais transparência, simplicidade e segurança jurídica aos projetos de ciência e tecnologia. "De nada adianta uma tecnologia revolucionária se permanecer na estante de um laboratório. Vamos dar as condições institucionais propícias para nossa produção científica", afirmou.

Chamada Universal. Além da sanção, a presidente anunciou a Chamada Universal 2016, que disponibiliza R$ 200 milhões para apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica. Os recursos disponibilizados são divididos em três níveis, com valores entre R$ 30 mil e R$ 120 mil.

Do total previsto no edital, R$ 150 milhões são do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e R$ 50 milhões virão do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq).

Participaram da cerimônia, os ministros Celso Pansera (Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera); Aloizio Mercadante (Educação); Edinho Silva (Secretaria de Comunicação) e Marcelo Castro (Saúde). O ex-ministro da Ciência e Tecnologia Aldo Rebelo, hoje no comando da pasta da Defesa, também participou do evento.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX