Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dilma diz ser preciso ter 'capacidade de aceitar derrota quando ela chega'

Presidente manda indireta à oposição um dia após o TSE determinar a abertura de ação eleitoral que pede a impugnação de sua chapa

Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2015 | 14h13

Brasília - Um dia depois da decisão inédita do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de reabrir uma ação, movida pelo PSDB, que pede a cassação do mandato presidencial por abuso de poder econômico e político nas eleições de 2014, a presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira, 7, que é preciso ter "a capacidade de aceitar a derrota, quando ela chega, porque existem vencedores e perdedores". E emendou: "É o chamado fair play, que também a atividade esportiva ensina a cada um de nós."

Dilma falava ao lado do vice-presidente Michel Temer e na presença de pelo menos quatro dos sete ministros do PMDB, em discurso na cerimônia no Ano Olímpico do Turismo Brasileiro. A fala foi entendida como uma resposta ou recado ao que houve ontem, embora ela não tenha citado diretamente a decisão do TSE. O governo tem reiterado que os tucanos não aceitam o resultado das eleições e querem virar o jogo no "tapetão". Ao deixar a Casa Civil, pela manhã, o ministro Aloizio Mercadante criticou o que chama de "golpismo" da oposição.

Ao citar vencedores e perdedores e falar em fair play, Dilma se referia à Olimpíada, que serão realizadas no ano que vem. A presidente disse ainda que, "em qualquer circunstância só se chega ao pódio através de um trabalho conjunto e duro", acrescentando que "todo o espírito dos Jogos implica cooperação em uma atividade comum e isso vale para os atletas e para as parcerias que "nós estabelecemos desde que ganhamos o direito de recepcionar os Jogos Olímpicos Rio 2016". Por fim, falou da "capacidade de aceitar a derrota, quando ela chega, porque tem vencedores e perdedores, então é o chamado fair play que também a atividade esportiva ensina a cada um de nós".

Em outro trecho, a presidente voltou a dizer que a crise pela qual o Brasil passa é conjuntural e não estrutural, uma vez que o País está mais robusto que em outras crises. "Hoje passamos por dificuldades econômicas, mas elas são conjunturais", declarou. "Temos condições de superar a crise, somos mais robustos e resilientes que em outras crises. O turismo é uma forma de construir o otimismo no nosso País."

Dilma lembrou que a Olimpíada vai atrair muitos turistas e a atenção de outros países para o Brasil e lembrou que "na Copa, ganhamos todas as competições fora de campo, com infraestrutura". Ela exaltou ainda a infraestrutura do Brasil durante a Copa do Mundo e afirmou que, para as Olimpíadas de 2016, as instalações também seguirão um bom padrão. A presidente defendeu ainda que bons aeroportos são um chamariz para turistas e disse que a área turística tem capacidade de congregar uma rede imensa de micro e pequenos empreendimentos com poder de construir renda e riqueza no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.