1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Dilma dá posse a novos ministros e promete '2014 melhor que 2013'

Atualizado às 12h49 - Ricardo Della Coletta, Ricardo Brito, Daiene Cardoso e Rafal Moraes Moura

03 Fevereiro 2014 | 12h 09

Presidente aproveita solenidade para fazer balanço de sua gestão e diz que trocas fazem parte do 'calendário da democracia'

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 3, que o ano de 2014 será "ainda melhor do que o de 2013". Na cerimônia de troca e posse de quatro ministros, no Palácio do Planalto, Dilma disse que a missão do governo é continuar garantindo direitos e destacou pontos da política econômica. Aos novos titulares, pediu que atendam "à determinação de trabalhar muito" pelo País.

Durante seu discurso, Dilma fez breve análise de sua gestão e afirmou que objetivos propostos foram "manter os fundamentos macroeconômicos, com crescimento da economia", a manutenção do processo de inclusão social inaugurado com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, e manter o País na "liderança" da redução do processo de desigualdade do mundo. A presidente prometeu cumprir todas as suas tarefas até o dia 31 de dezembro de 2014, data em que se encerra seu atual mandato.

"Um dos outros princípios que nos nortearam foi a expansão, a garantia e a expansão da nossa solidez democrática, conquistada por nós a duras penas", disse a presidente há pouco. "O respeito integral aos demais poderes, aos movimentos sociais, às demandas da população", concluiu.

Dilma deu posse a Aloizio Mercadante na Casa Civil, a Arthur Chioro na Saúde, José Henrique Paim na Educação e Thomas Traumann na Secretaria da Comunicação Social. As trocas inauguraram a primeira etapa da reforma ministerial deste ano e novas mudanças serão anunciadas ainda neste mês. A presidente disse que as substituições "fazem parte do calendário da democracia". "Persistiremos trabalhando para garantir a execução de todos os programas e o cumprimento de todas as metas que propusemos para este ano", destacou ela. "Nós sabemos que temos de prestar contas ao povo cada vez mais consciente dos seus direitos e exigente em suas cobranças", completou.

Segundo Dilma, as mudanças ministeriais são "inevitáveis" em uma democracia e lembrou que alguns dos ministros deixaram as pastas para participar das eleições deste ano. Ela citou Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, que disputará o governo do Paraná, e Alexandre Padilha, da Saúde, que concorrerá ao governo paulista. "Desejo muito sucesso na sua caminhada", afirmou ela, após palmas.

A presidente agradeceu à "excelente condução" de Gleisi na Casa Civil, citando a coordenação dela em programas do governo e o programa de concessões. Ela também deu seus "sinceros e calorosos" agradecimentos a Padilha e citou o programa Mais Médicos, momento até agora mais aplaudido da solenidade. "O grande destaque mesmo foi o Mais Médicos. É um grande destaque porque o Mais Médicos tem um papel fundamental", completou.

Mercadante assume a Casa Civil também com a função de melhorar a articulação política do governo Dilma. Caberá a ele também fazer a ponte com a campanha da petista à reeleição.