1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Dilma anuncia investimento para transporte em Teresina

BEATRIZ BULLA E CARLA ARAÚJO - Agência Estado

18 Fevereiro 2014 | 14h 26

A presidente Dilma Rousseff frisou nesta terça-feira, 18, durante anúncio de investimentos do PAC 2 Mobilidade Urbana em Teresina (PI), que as cidades precisam investir em transporte sobre trilhos. No evento, Dilma anunciou o lançamento de um veículo leve sobre trilho (VLT) na cidade, que contará com R$ 611 milhões de recursos.

"É muito importante que uma cidade como Teresina e outras cidades que ainda não chegaram à situação de congestionamento, como outras no País, façam investimento em transporte sobre trilhos, tanto metrô subterrâneo como metrô de superfície, que hoje chamam de veículo leve sobre trilho", disse a presidente.

Do montante total investido, de acordo com Dilma, R$ 306 milhões são recursos do Orçamento da União a fundo perdido e R$ 304,8 milhões fazem parte de financiamento a ser pago em 30 anos, "com uma carência muito expressiva de cinco anos e juros de 5,5%", disse a presidente.

"No Brasil não dava para investir em metrô, em VLT, porque os financiamentos eram em cinco, em sete anos. Ninguém consegue fazer obras mais caras com um crédito muito curto", disse a presidente.

Dilma mencionou que, com o anúncio o governo federal chega a uma carteira de investimento em mobilidade de R$ 846 milhões no Piauí. "Nunca o governo federal colocou tanto dinheiro para mobilidade urbana, ou seja, transporte coletivo de massa, aqui no Piauí. E eu me orgulho imensamente disso."

"O Brasil cresce de uma forma muito interessante. Tem um período que cresce o Sudeste e o Sul, noutro cresce o Centro-Oeste. Pois eu acho que a região que vai mais cresce no futuro a partir de agora é o ''Mapitoba'': Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia", disse Dilma.

A presidente anunciou ainda a construção de 30 quilômetros de corredores de ônibus na cidade, três viadutos e ponte da Avenida Poti.

"Fico muito feliz com essa parceria (com governadores e prefeitos) porque antes, sem o governo federal, era muito difícil construir obras com esse valor", disse Dilma, que emendou: "Quando junta dinheiro do governo, do prefeito e do governo federal, nós, de forma republicana, construímos as obras que o povo precisa, sem olhar qual o partido ou a política do coração do prefeito, governador ou da presidenta. Nós honramos o voto que recebemos na urna."