1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Derrota do governo em votação teve 158 apoios da base

EDUARDO BRESCIANI - Agência Estado

11 Março 2014 | 21h 53

A derrota do governo na votação sobre uma comissão externa para investigar a Petrobras mostrou o tamanho da insatisfação da base aliada com o Palácio do Planalto. Dos 267 votos registrados em plenário a favor da comissão pedida pela oposição, 158 foram dados por deputados da base aliada no Congresso. O resultado é a primeira vitória do chamado "blocão", grupo que reúne parlamentares descontentes.

Foi do PMDB de Eduardo Cunha (RJ) que veio o maior número de votos contra o governo. Dos 75 deputados, 61 votaram e apenas três ficaram com a posição do Planalto - Marinha Raupp (RO), esposa do presidente interino da legenda, Valdir Raupp, Francisco Escórcio (MA), da bancada do senador José Sarney, e Silas Brasileiro (MG). Todos os outros respaldaram a posição do líder que o governo tenta isolar.

Mesmo nos três partidos que encaminharam a votação abandonando o "blocão", PP, PDT e PROS, houve votos contra o governo. Dos 77 deputados destes partidos, 52 compareceram e 18 registraram voto a favor da comissão externa para investigar a estatal.

Assediado pelo ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) na noite de segunda-feira, 10, o PR manteve-se firme no "blocão", dando 24 votos contra o governo. O partido tem bancada de 31 deputados e só Anthony Garotinho (RJ), dos presentes, ficou com a posição do Planalto. Também da base, PTB, PV e PSC deram todos os seus votos para a oposição.

Mesmo o PSD, partido que não faz parte do grupo dos descontentes, aproveitou para mandar um recado ao Planalto. A sigla, que já até anunciou oficialmente apoio à reeleição de Dilma, teve 21 votos contra o governo, metade da bancada de 42 deputados. No PT, apenas Francisco Praciano (AM) ficou contra o governo. No PC do B, todos os 11 votantes acompanharam a orientação do Planalto para tentar evitar a comissão.