Deputado retarda relatório da CPMF para obter cargo

Cunha quer a nomeação de Paulo Conde a presidente de Furnas; emendas precisam ser votadas até setembro

Agencia Estado

25 Junho 2007 | 15h55

O governo começou a se preocupar seriamente com a possibilidade de haver atraso na votação da emenda constitucional que prorroga até dezembro de 2011 a cobrança da CPMF e a Desvinculação de Recursos da União (DRU). O relator das duas emendas na Comissão de Constituição e Justiça, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deveria ter entregue o relatório em maio, mas ele ainda nem examinou a proposta do governo. "Só vou começar a me deter no projeto na semana que vem. Por enquanto estou sem tempo, porque sou relator de outras propostas e estou envolvido com a CPI do Apagão Aéreo", justificou-se Cunha. "Espero terminar o parecer até o fim do mês." O Planalto tem informações de que Cunha retarda ao máximo o trabalho para pressionar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nomear logo o ex-prefeito Luiz Paulo Conde presidente de Furnas. Na CPI, sua atuação tem desagradado ao governo, pois ele adotou a linha de sempre criar problemas. CPMF e DRU, também chamados de "impostos da governabilidade", acabam em dezembro deste ano. Como a CPMF é uma contribuição, diz a Constituição que tem de ser aprovada três meses antes para entrar em vigor. Por isso, a luta do governo é para que Câmara e Senado votem a prorrogação até 30 de setembro, o que, em termos de tramitação de emenda constitucional, seria um recorde. Mas, com acordo, é possível saltar os obstáculos dos prazos. Como a demora de Cunha já preocupa o Planalto, o vice-líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), disse que vai procurá-lo para pedir que seja rápido. "Vou conversar com o relator para ver se ele consegue abreviar os prazos", afirmou Fontana. "Essa é uma questão que exige pressa." A DRU permite ao governo movimentar livremente 20% do que arrecada. Reunião Nesse contexto e no auge da crise que envolve senador Renan Calheiros (AL), um dos principais interlocutores do PMDB com o Palácio do Planalto, Lula reuniu-se com o presidente nacional do partido, deputado Michel Temer (SP), para confirmar nomeações de interesse da legenda, especialmente as reivindicadas pela bancada na Câmara. Lula disse que até sexta-feira da próxima semana, quando deve embarcar para Portugal, vai nomear o novo ministro de Minas e Energia (Márcio Zimmerman). E adiantou sua intenção de confirmar logo em seguida Luiz Paulo Conde para a presidência de Furnas. Outra reivindicação da bancada peemedebista na Câmara que o Planalto está disposto a atender é a escolha do ex-deputado Wellington Moreira Franco (PMDB-RJ) para a vice-presidência da Caixa Econômica Federal que cuida de transferência de benefícios e loterias. O próprio Lula abordou a questão, com o trunfo da boa notícia de mais uma promessa cumprida e devidamente registrada pelo Diário Oficial da União de ontem: a nomeação do ex-deputado Wagner Rossi, amigo e ex-vice-líder de Temer na Câmara, para a presidência da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). (Colaborou Christiane Samarco)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.