Depois de um mês, Dilma conclui novo ministério

O período de anúncio da equipe de governo foi marcada por discrição, com 8 divulgações feitas via notas oficiais para apresentar os 37 nomes

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado,

22 Dezembro 2010 | 12h50

BRASÍLIA - Um mês após o anúncio dos integrantes da equipe econômica e às vésperas do Natal, a presidente eleita, Dilma Rousseff, concluiu a formação de seu ministério. Nesse período, Dilma optou pela discrição, com futuros ministros sendo anunciados por meio de notas oficiais, divulgadas pela equipe de transição. Foram oito notas para anunciar os 37 ministros.

Os primeiros nomes confirmados foram a petista Miriam Belchior no Ministério do Planejamento, Alexandre Tombini na presidência do Banco Central (BC) e a permanência de Guido Mantega no Ministério da Fazenda. Os três foram os únicos a conceder entrevista à imprensa após confirmados no futuro governo.

Quase a metade da Esplanada - 17 ministérios - vai ficar com o PT. O partido terá sob seu comando os ministérios mais importantes, como Fazenda, Casa Civil e Planejamento. A legenda também controlará os dois maiores orçamentos livres, da Educação e Saúde. O maior orçamento obrigatório é o da Previdência Social, pasta confiada ao PMDB.

Partido do presidente da Câmara e vice-presidente eleito, Michel Temer (SP), o PMDB ficará com seis pastas. No entanto, a sigla perdeu ministérios de peso, como Integração Nacional e Comunicação Social. O PSB conseguiu duas pastas, embora pleiteasse três. Os demais aliados - PCdoB, PR, PP e PDT - ficaram com um ministério cada um. Por fim, Dilma cumpriu a promessa de ampliar a participação de mulheres na Esplanada. Ela triplicou o número de ministras: eram três, agora são nove.

Confira abaixo a relação completa dos ministros do governo Dilma Rousseff.

PT

Ministério da Fazenda, Guido Mantega

Casa Civil, Antonio Palocci

Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho

Ministério da Justiça, José Eduardo Cardozo

Ministério das Relações Institucionais, Luiz Sérgio

Ministério da Educação, Fernando Haddad

Ministério da Saúde, Alexandre Padilha

Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante

Ministério das Comunicações, Paulo Bernardo

Ministério do Desenvolvimento Social, Tereza Campello

Ministério do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence

Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Fernando Pimentel

Ministério do Planejamento, Miriam Belchior

Ministério da Pesca, Ideli Salvatti

Secretaria Especial de Direitos Humanos, Maria do Rosário

Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial (Sepir), Luiza Bairros

Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, Iriny Lopes

PMDB

Ministério da Agricultura, Wagner Rossi

Ministério do Turismo, Pedro Novais

Ministério da Previdência Social, Garibaldi Alves

Ministério de Minas e Energia, Edison Lobão

Secretaria de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco

Ministério da Defesa, Nelson Jobim

PSB

Ministério da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho

Secretaria de Portos, Leônidas Cristiano

PDT

Ministério do Trabalho, Carlos Lupi

PCdoB

Ministério dos Esportes, Orlando Silva

PR

Ministério dos Transportes, Alfredo Nascimento

PP

Ministério das Cidades, Mário Negromonte

Sem filiação partidária

Banco Central, Alexandre Tombini

Ministério das Relações Exteriores, Antonio Patriota

Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas

Ministério do Meio Ambiente, Izabella Teixeira

Ministério da Cultura, Ana de Hollanda

Advocacia Geral da União, Luís Inácio Lucena Adams

Controladoria Geral da União, Jorge Hage

Gabinete da Segurança Institucional, José Elito Carvalho Siqueira

Mais conteúdo sobre:
transição Dilma Rousseff ministérios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.