1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Depoimento de Paulo Costa na CPI da Petrobras é adiado

RICARDO DELLA COLETTA E RICARDO BRITO - Agência Estado

22 Maio 2014 | 13h 53

Por falta de quórum, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras no Senado não apreciou uma série de requerimentos de convocação de depoentes e de solicitação de informações. Dentre os possíveis convocados estava o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, investigado na Operação Lava-Jato da Polícia Federal. Sem a análise dos requerimentos, a convocação pode acontecer na próxima reunião do colegiado, agendada para terça-feira, 27, quando os senadores ouvirão a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster.

Os requerimentos que não foram votados nesta quinta-feira, 22, também pedem ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à 13ª Vara Federal de Curitiba cópia da Operação Lava-Jato. Há também uma solicitação para que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) encaminhe ao Parlamento cópia de processos que tratam da troca de ativos entre a Petrobras e a Repsol YPF, relativamente à refinaria de Bahia Blanca.

A sessão desta manhã, que ouviu o ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, foi esvaziada e mais uma vez não contou com parlamentares da oposição. Participaram da reunião apenas o presidente, senador Vital do Rego (PMDB-PB), o relator, José Pimentel (PT-CE), e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Vital do Rego informou ainda que na próxima quinta-feira, 29, a CPI deverá ouvir o ministro José Jorge, do Tribunal de Contas da União (TCU), órgão que também apura a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, além de Jorge Zelada, também ex-diretor internacional da Petrobras.