1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Depoimento de Cerveró frustra a oposição

DAIENE CARDOSO E RICARDO BRITO - Agência Estado

16 Abril 2014 | 20h 05

Num depoimento de cinco horas e meia na Câmara, o ex-diretor Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró se limitou nesta quarta-feira a fazer uma apresentação técnica sobre a operação de compra da Refinaria de Pasadena, do Texas (Estados Unidos). Mesmo com a pressão da oposição, Cerveró não confrontou a presidente Dilma Rousseff, disse que não houve a intenção de enganá-la e insistiu que a estatal fez um bom negócio à época.

"Não houve nenhuma intenção de enganar ninguém. Quer dizer, não há nenhum sentido de se enganar ninguém", respondeu ele. Cerveró disse que o documento que reunia todas as informações sobre o negócio foi encaminhado à diretoria da Petrobras, mas não soube afirmar se, além do resumo técnico, o Conselho de Administração da empresa teve acesso às 400 páginas detalhando a proposta. O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras afirmou que não tinha a responsabilidade, à época, de fazer esse encaminhamento.

Tido como "homem-bomba" do caso, capaz de colocar mais combustível aos apelos da oposição pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) exclusiva da Petrobras, Cerveró, em nenhum momento, comprometeu a estatal e o governo. Tanto que no fim recebeu os cumprimentos dos deputados da base aliada. "Eu vi muitas tentativas de se colocar palavras na sua boca com um único intuito: atingir a presidente Dilma", afirmou o deputado Rosinha (PT-RS).

Durante o testemunho, o ex-diretor da Área Internacional da estatal ressaltou que as polêmicas cláusulas "put option" (de saída) e "marlim" (de rentabilidade do sócio) não eram relevantes. Conforme o jornal O Estado de S.Paulo revelou em março, Dilma, quando era presidente do Conselho de Administração da Petrobras, admitiu não ter tido acesso, no resumo que recebeu de Cerveró, às duas cláusulas na compra da refinaria. Ela afirmou que, se soubesse delas, não teria avalizado a operação.

"Não é importante do ponto de vista negocial, do ponto de vista da valorização do negócio, nem uma cláusula nem outra", destacou. O ex-diretor da Área Internacional rechaçou que a operação tenha sido "malfadada" para as condições existentes na ocasião.

Ao falar da carreira na Petrobras, Cerveró emocionou-se e disse ter tido orgulho de participar da direção da estatal no governo Lula, quando o plano de estratégico de expansão internacional foi intensificado. "Tenho orgulho de ter dirigido a área internacional, seguindo uma orientação do presidente Lula de internacionalização da Petrobras", afirmou. O ex-diretor refutou as tentativas de rotulá-lo como indicado político. "Eu fui indicado pela minha capacidade e competência", disse. "Agora, se o senhor prefere reduzir a uma indicação política, eu prefiro não falar nada", completou, em resposta ao deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA).

Cerveró declarou que o cenário em relação aos investimentos em Pasadena mudou de maneira "drástica", após a compra de metade da refinaria, por dois motivos principais: a descoberta do pré-sal, que modificou a orientação de investimentos da Petrobras, e a crise nos EUA em 2008, que se alastrou pelo mundo.

Cerveró afirmou que, no mesmo período a Astra Oil, a antiga sócia da Petrobras não quis ampliar os investimentos, o que levou a direção da estatal a se reunir em Copenhague, na Dinamarca, com o grupo belga. Eles aproveitaram uma viagem do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva à região escandinava. Ele negou que Lula tenha participado diretamente das negociações. Sem acordo, a Petrobras recorreu a uma arbitragem internacional para definir se ela teria de arcar com a compra da outra metade.

Em 2012, quando Cerveró já estava fora da área internacional da Petrobras, a estatal foi obrigada a arcar com o restante da refinaria. Ele disse que, ao todo, a compra custou à companhia US$ 1,23 bilhão.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo