1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

DEM vai questionar viagem de Dilma a São Bernardo do Campo

- Atualizado: 06 Março 2016 | 17h 23

Partido quer saber quem pagou viagem da presidente

BRASÍLIA - O líder DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), vai protocolar nesta segunda-feira, 7, uma representação na Procuradoria-Geral da República contra a presidente Dilma Rousseff por improbidade administrativa. No documento, o senador pede a instauração de uma investigação sobre a viagem que Dilma fez no sábado a São Bernardo do Campo, para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Caiado argumenta que a presidente e o ministro Jaques Wagner (Casa Civil), que também é do PT, utilizaram recursos públicos para uma atividade com fim político-partidário. Os dois estiveram com Lula um dia depois de ele ser alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato.

"É inadmissível que uma presidente use o aparato do Estado para fazer uma viagem de solidariedade a uma pessoa que está sendo investigada pela Justiça por crime de corrupção, sob a suspeita de ocultação de patrimônio", disse.

Dilma se encontrou com Lula no apartamento do ex-presidente

Dilma se encontrou com Lula no apartamento do ex-presidente

Para o senador, a postura de Dilma incentiva o clima de enfrentamento entre os grupos que apoiam e os que são contra o ex-presidente. "Isso mostra que ela não tem estatura nenhuma para ser presidente da República", afirmou.

Já o líder do partido na Câmara, Pauderney Avelino (DEM-AM) vai apresentar um requerimento na Câmara para pedir informações à Presidência da República e à Casa Civil sobre a viagem.  "Queremos saber por que ela usou o avião e o helicóptero da Presidência para visitar o Lula", disse.

Após depoimento de Lula, Instituto e diretórios são alvos de vandalismo
Márcio Fernandes/Estadão
Após depoimento de Lula, Instituto e diretórios são alvos de vandalismo

Investigado por suspeita de ter recebido presentes milionários de empreiteiras que formaram cartel na Petrobrás entre 2004 e 2014, o ex-presidente Lula, que prestou depoimento na última sexta-feira, foi alvo de revolta de parte da população brasileira e alguns locais significativos para o petista foram pichados com ofensas a ele. LEIA MAIS

Avelino informou que os parlamentares de oposição estão mobilizados para, já na segunda-feira, estarem em número suficiente para abertura da sessão no plenário da Câmara, às 14 horas. São necessários 51 deputados. O objetivo é fazer discursos centrando fogo contra o governo. "E, a partir da terça-feira, obstrução total." Os partidos contrários ao governo não querem votar nada até que a comissão especial que vai analisar o impeachment de Dilma seja instalada.

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Silvio Costa (PTB-PE), ironizou a ofensiva do DEM. "Da próxima vez eu vou sugerir que a presidente visite Lula de jumento, em homenagem a uma parte da oposição brasileira", disse. 

O Palácio do Planalto disse que somente se manifestaria sobre o assunto depois das ações serem protocoladas. Auxiliares da presidente, porém, minimizaram a questão e afirmaram que a oposição só que "fazer barulho", já que eles sabem que, por questão de segurança, qualquer deslocamento da presidente é feito com a estrutura do governo. 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX