Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » DEM vai pedir convocação de Cerveró para depor na comissão do impeachment

Política

Dida Sampaio|Estadão

Política

DEM

DEM vai pedir convocação de Cerveró para depor na comissão do impeachment

Para líderes da oposição, menção à presidente em trechos da delação do ex-diretor da Petrobrás dará mais força ao processo de afastamento de Dilma no Congresso

0

Igor Gadelha,
O Estado de S.Paulo

13 Janeiro 2016 | 17h11

BRASÍLIA - O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), afirmou nesta quarta-feira, 13, que proporá a convocação do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró para depor na comissão especial do impeachment, quando o colegiado for instalado. Para líderes da oposição, a menção à presidente Dilma Rousseff em trechos da delação premiada de Cerveró dará mais força tanto ao processo de afastamento de Dilma no Congresso como às ações do PSDB que pedem a cassação do mandato dela no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Como revelou o Estado, o ex-diretor da Petrobrás declarou à Procuradoria-Geral da República (PGR) ter ouvido do senador Fernando Collor (PTB-AL) que teria negociado diretamente com Dilma a indicação de cargos de chefia na BR Distribuidora, subsidiária da Petrobrás.

"Vamos propor a convocação de Cerveró na comissão especial do impeachment", afirmou Mendonça Filho. De acordo com o líder do DEM na Câmara, a delação do ex-diretor e todas as outras que foram divulgadas recentemente põem dentro do Planalto a tensão do impedimento e dos processos no TSE.

"O impeachment tem que ser esgotado. E essas denúncias e delações mostram que, ao contrário do que o governo esperava, que o recesso esvaziaria a tese do impeachment, ele permanece vivo e forte", avaliou. A comissão especial deve ser montada somente na volta do recesso legislativo, em fevereiro. Por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), os membros só poderão ser indicados pelos líderes partidários e eleitos em votação aberta.

Pressão popular. Segundo o líder do PPS na Casa, Rubens Bueno (PR), o conteúdo do depoimento é "gravíssimo" e deve aumentar a pressão popular pelo impeachment de Dilma. "Com a imprensa denunciando e a sociedade se organizando, o impeachment ganhará mais força", diz. Conforme o líder da minoria na Câmara, Bruno Araújo (PSDB-PE), a delação de Cerveró "coloca no colo" do Palácio do Planalto a investigação de corrupção na Petrobrás. "Isso alimenta o impeachment e, de certa forma, dá mais força ao processo do TSE", avaliou.

O PSDB também comunicou nesta quarta que pretende incluir trechos da delação nas representações que ingressou no TSE em que questiona irregularidades na campanha da presidente e do vice-presidente Michel Temer e pede a cassação dos mandatos deles. 

Comentários