1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Delegados da PF recuam e dizem que nunca tiveram interesse de promover embate público

- Atualizado: 08 Janeiro 2016 | 19h 10

Após criticar 'desmonte' da corporação e se desentender com o ministro da Justiça devido a redução do orçamento, entidade afirma intenção de discutir e construir soluções para seu fortalecimento

BRASÍLIA - Após embate público com o Ministério da Justiça nos últimos dias por meio de notas, cartas e manifestos, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) divulgou nova nota nesta sexta-feira, 8, em tom mais ameno nos protestos por corte de verbas. No novo documento, a entidade afirma que nunca teve o interesse de promover o embate público com nenhuma autoridade, mas reafirmou a intenção de discutir e construir "soluções que permitam o constante fortalecimento da Polícia Federal".

 
 

"A reivindicação, endereçada prioritariamente ao Ministério da Justiça, teve a intenção de conclamar a defesa institucional da PF, devido ao fato de que a Polícia Federal se encontra vinculada administrativamente àquela pasta ministerial", afirma a nova nota. "O documento nunca teve o interesse de promover o embate público com nenhuma autoridade. Intenta-se, ao contrário, discutir a garantia dos recursos mínimos para a continuidade da atividade estatal de combate à corrupção", acrescenta.

Nos últimos dias, a ADPF vem lançando documentos com críticas ao que chamam de "desmonte" da Polícia Federal, após redução do orçamento da instituição em 2016. Os delegados chegaram a enviar carta ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que se irritou com as iniciativas da entidade. Para o ministro, a associação estava fazendo uma política "epistolar", tentando criar polêmica "onde não existe". Cardozo nega que haja qualquer "desmonte" da PF.

Estudo. Na nota lançada nesta sexta-feira, a ADPF informa ainda que encomendou um estudo "técnico e científico" a uma fundação "reconhecida nacionalmente", cujo nome não foi divulgado, para apresentar um relatório detalhado do orçamento destinado à Polícia Federal nos últimos anos. O estudo, de acordo com a associação dos delegados, fará uma comparação do orçamento da PF com o das demais instituições públicas da área da segurança e justiça.

A ADPF afirma que o objetivo do estudo encomendado é "discutir com o governo no âmbito de dados concretos". "Com base nos dados e levantamentos realizados, os delegados federais chamarão o governo e a sociedade para a discussão e construção das soluções que permitam o constante fortalecimento da Polícia Federal", afirma a nota.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX