1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Delcídio diz que Bumlai lhe ofereceu R$ 1 milhão para ‘solucionar conflito’ na Aneel

- Atualizado: 15 Março 2016 | 21h 21

Senador afirma ter tomado providências para marcar audiência entre Maurício Bumlai, Reinaldo Bertin, um dos controladores do grupo Bertin, e o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, além da superintendência de geração da agência reguladora

BRASÍLIA - O senador Delcídio Amaral (PT-MS) foi acionado pelo familiares de José Carlos Bumlai para tentar livrar seus negócios no setor elétrico de multas bilionárias da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para atuar na “solução do conflito”, Delcídio receberia R$ 1 milhão dos empresários.

A informação consta da delação premiada feita por Delcídio e divulgada hoje na íntegra. No depoimento, Delcídio afirmou que Maurício Bumlai, filho do empresário José Carlos Bumlai, amigo pessoal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi a pessoa que lhe fez a oferta.

O pecuarista José Carlos Bumlai 

O pecuarista José Carlos Bumlai 

O Grupo Bertin acumula uma série de projetos de usinas térmicas e dívidas bilionárias que há anos são cobradas pela Aneel. Delcídio disse que tomou providências para marcar uma audiência entre Maurício Bumlai, Reinaldo Bertin, um dos controladores do grupo Bertin, e o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, além da superintendência de geração da agência reguladora.

Segundo Delcídio, o encontro ocorreu entre outubro e novembro de 2015. O senador afirmou que não teve mais tempo de tomar alguma outra medida concreta e que não chegou a receber nenhum valor por conta de sua atuação.

Até 2014, a Aneel já havia cancelado 17 projetos de usinas assumidas pelo Bertin, por conta de sucessivos atrasos na construção das térmicas. Em fevereiro, o grupo Bertin foi autuado em R$ 3 bilhões pela Receita Federal, em impostos e multas. Procurado, o Grupo Bertin declarou que seus acionistas desconhecem e não participaram de reuniões com executivos da Aneel para tratar de assunto usina São Fernando e que, desde 2011, não fazem parte da sociedade. “A mencionada audiência, se ocorreu, não contou com a presença de ninguém do Grupo Bertin, informou.

Por meio de nota, o empresário Maurício Bumlai declarou que “rejeita as citações a seu nome feitas pelo senador Delcídio Amaral em sua delação premiada. A Aneel não se manifestou até o momento.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX