1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Cúpula do PSB vai discutir em Recife os rumos da campanha

Erich Decat - Agência Estado

20 Janeiro 2014 | 16h 21

Na pauta está a definição de diretrizes e de um organograma para estabelecer os nomes que vão compor o 'núcleo duro'; Cotada para ser candidata a vice de Campos, Marina não vai participar

Brasília - Um pequeno grupo de integrantes da cúpula do PSB se reúne nesta terça-feira, 21, em Recife, para discutir ações que deverão ser implementadas em torno da candidatura à Presidência da República do governador de Pernambuco e presidente da legenda, Eduardo Campos. Apesar de integrar o partido e ser cotada para assumir a vaga de vice na chapa de Campos, a ex-senadora Marina Silva não deve participar do encontro, segundo representantes da legenda ouvidos pelo Broadcast Político.

Entre os temas da pauta da cúpula do PSB está a definição de uma data para apresentar aos eleitores as diretrizes que vão compor o programa partidário para a campanha eleitoral. A previsão, no entanto, é que esse documento seja divulgado apenas no próximo dia 30 de janeiro ou no dia 4 de fevereiro, em um ato político possivelmente em Brasília.

No encontro desta terça, integrantes da cúpula do PSB devem definir também um organograma em que fique estabelecido o papel de cada um que integrará o "núcleo duro" da campanha presidencial de Eduardo Campos. Deve entrar na composição deste organograma o nome da pessoa que comandará a parte de comunicação do partido durante a campanha. Um dos avaliados para o posto é o marqueteiro Renato Pereira, que até o final do ano passado trabalhou na equipe do presidente do PSDB e possível candidato à presidência, senador Aécio Neves (MG).

Eduardo Campos deve apresentar ainda uma previsão inicial do orçamento que o partido contará para a disputa eleitoral. De acordo com cálculos de alguns socialistas, o custo de cada candidatura própria aos governos estaduais gira em torno de R$ 10 milhões, valores que devem ser alterados.

Outro tema de debate do encontro da cúpula do PSB deve ser a formação das alianças nos Estados, em especial São Paulo, maior colégio eleitoral do país e onde o partido está dividido entre lançar uma candidatura própria para o governo local ou permanecer na chapa do atual governador, Geraldo Alckmin (PSDB).

Em uma outra linha de ação, o PSB deverá realizar em conjunto com os integrantes do PPS e da Rede uma série de seminários regionais a partir de fevereiro para adicionarem os debates no conjunto de ideias da plataforma de governo. O primeiro encontro está previsto para ocorrer em Porto Alegre no próximo dia 22 de fevereiro. Em março o seminário deverá ocorrer no Rio de Janeiro. Em abril a previsão é que o encontro seja feito no dia 05, em Recife, no dia 12 em Goiânia e por fim no dia 26 em Manaus.