1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Correção/Padilha: greve revela problema crônico em SP

ALINE BRONZATI - Agência Estado

24 Maio 2014 | 20h 48

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. A sigla correta no terceiro parágrafo é EMTU e não MTU como estava grafado. Segue o texto corrigido:

A semana marcada por greves de motoristas e cobradores de ônibus da capital paulista e em 10 cidades da região metropolitana revelou um problema agudo e crônico no Estado, na avaliação do ex-ministro Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo. Em entrevista ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, durante o seminário de educação da caravana Horizonte Paulista, em São Paulo, Padilha disse ser necessário o apoio do governo estadual aos municípios na gestão do transporte público na região metropolitana. Ele criticou o governo do Estado por "jogar a culpa para o prefeito da capital" e também a possibilidade de ter existido algum tipo de orientação para que a polícia não agisse.

De acordo com o ex-ministro da Saúde, das 11 cidades atingidas somente quatro são governadas pelo PT. As demais são administradas por outros partidos, inclusive os da base do governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Por que (ele) tentou jogar a culpa em cima do prefeito Fernando Haddad", questionou Padilha.

Como proposta de integração entre os governos para solucionar a questão do transporte, Padilha citou projeto seu de criar um bilhete único integrado para a região metropolitana de São Paulo. "O bilhete vai unificar e baratear o custo do transporte que existe entre metrô e CPTM e toda a estrutura da EMTU, que hoje não está integrada, que é de responsabilidade do governo do Estado", explicou.

O pré-candidato do PT ao governo do SP acrescentou, ainda, a necessidade de o metrô ser de fato "metropolitano". A grande prioridade da sua gestão, caso seja eleito, será, segundo ele, fazer com que o metrô ultrapasse os limites da cidade de São Paulo e chegue até Guarulhos, Taboão da Serra e ABC.