Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Contrariado, líder do PSDB avalia tirar Andrada da CCJ

Com a mudança, Tripoli forçaria o presidente da comissão a escolher outro relator para a segunda denúncia contra Temer

Igor Gadelha e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2017 | 19h09

BRASÍLIA - O líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (SP), ficou incomodado com a escolha do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) para relatar a denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Segundo interlocutores, o tucano paulista não descarta, inclusive, substituir o parlamentar mineiro do colegiado, a fim de obrigar o presidente da comissão, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), a escolher um novo relator.

+++ RELEMBRE: VOTAÇÃO DO RELATÓRIO DE ABI-ACKEL NA CCJ 

Pacheco anunciou Andrada como relator na tarde desta quinta-feira, 28. Na entrevista, admitiu que o líder do PSDB o procurou para pedir que não indicasse nenhum tucano para a relatoria. Tripoli, que é contra a permanência do PSDB na base governista, temia que a escolha de um deputado do PSDB aumentasse o racha interno na sigla em relação a assunto. O presidente da CCJ, no entanto, disse que Andrada aceitou o convite e que o relator era "maior" do que as questões internas do partido.

+++ Tucanos estão mais alinhados em 2ª acusação

Tripoli não acompanhou presencialmente o anúncio do relator, pois já estava em São Paulo. Segundo interlocutores, o líder não gostou da escolha e vai analisar como reagir. Uma das opções é substituir o deputado mineiro, que é suplente da CCJ, o que obrigaria o presidente da comissão a escolher um novo relator.

+++ Para vice-líder do governo, escolha de relator na CCJ ajuda a mudar votos de 'cabeças-pretas'

"Que faça (a substituição). Aí teremos de fazer a redistribuição da relatoria", reagiu Pacheco. Procurado, Tripoli não quis se pronunciar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.