Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política » Construtora Delta é alvo de operação da PF

Política

Fabio Motta/Estadão

Construtora Delta é alvo de operação da PF

Agentes cumprem mandados em empresa que foi investigada em CPI por ligação com Cachoeira; Cavendish também é investigado pelos federais

0

Atualizado às 17h30,
Fausto Macedo - O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2013 | 10h18

Operação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público Federal cumpre mandados de busca e apreensão na sede e em filiais da construtora Delta, na manhã desta terça-feira, 1º, em cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás. A empresa é a mesma citada em Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, instaurada em 2012 no Congresso, para investigar suposto esquema de desvio de recursos de obras públicas e a ligação de agentes públicos com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

A ação, batizada de Saqueador, mobiliza 100 agentes e delegados. O dono da empresa, Fernando Cavendish, também é investigado. A PF está convencida de que o crime de lavagem de dinheiro está comprovado diante da existência de fortes indícios de "transferências milionárias de recursos da empresa de engenharia para sociedades de fachada".

A comprovação de que houve desvio de dinheiro público será feita por perícia contábil financeira. Os peritos da PF vão analisar toda a documentação apreendida na Operação Saqueador.

A Delta passou a ser investigada após a prisão de Carlinhos Cachoeira, em fevereiro de 2012, na Operação Monte Carlo, que desarticulou esquema de jogo do bicho em 4 Estados e no Distrito Federal. Escutas da Polícia Federal mostraram que Cachoeira pediu ajuda ao então senador Demóstenes Torres para beneficiar Fernando Cavendish, que era presidente da Delta. Segundo a PF, havia indícios de que parte dos recursos da Delta era transferida para empresas fantasmas ligadas a Cachoeira.

Em abril, foi instalada a CPI do Cachoeira para investigar o caso. Maior empreiteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) até surgir o caso Cachoeira, a Delta foi considerada pela Controladoria-Geral da União "inidônea" em junho. Em dezembro, a CPI do Cachoeira foi encerrada sem apontar responsáveis. Em razão do escândalo, Cavendish deixou o conselho de administração da empresa.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Delta informou que vai colaborar com as autoridades. / Colaborou Adriano Barcelos

Mais conteúdo sobre: