1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Comissão da Câmara convoca ministro das Cidades

RICARDO DELLA COLETTA - Agência Estado

12 Março 2014 | 12h 21

A crise política entre parte da base aliada e o Palácio do Planalto resultou na convocação de mais um ministro na manhã desta quarta-feira, 12. Aguinaldo Ribeiro (PP), titular das Cidades, deverá comparecer à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para falar sobre problemas com empenhos de emendas parlamentares. O ministro das Cidades também será questionado pelos deputados sobre o andamento de obras de mobilidade urbana e a resolução do Contran que obriga a implantação de simuladores em autoescolas.

Deputados acusaram o ministro das Cidades de privilegiar seu Estado, a Paraíba, na execução de emendas parlamentares no final de 2013. Levantamento do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), consultado pela reportagem, revela que municípios paraibanos receberam R$ 41,6 milhões da ação "Apoio à Política Nacional de Desenvolvimento Urbano", uma das principais da pasta das Cidades. A queixa dos parlamentares é que Estados com maior população no Nordeste, como Bahia e Pernambuco, obtiveram da mesma programação valores expressivamente menores.

O bloco PP-PROS e o PT tentaram barrar a convocação de Aguinaldo Ribeiro, mas os integrantes do chamado "blocão", grupo informal de deputados insatisfeitos com a articulação política, liderado pelo líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), conseguiu passar o requerimento. A votação foi simbólica.

Hoje mais cedo, a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle já havia aprovado requerimentos de convites para que a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, e do ministro da Saúde, Arthur Chioro. O titular da Saúde também foi convidado na Comissão de Seguridade Social e Família. A aprovação de convites e requerimentos é mais um sinal enviado pelo "blocão" ao Palácio do Planalto. Nesta terça, o Plenário da Casa aprovou a criação de uma comissão externa para acompanhar investigações internacionais que citam a Petrobras, contrariando interesses do governo.