HÉLVIO ROMERO/AE
HÉLVIO ROMERO/AE

Com transferência de título, PT já admite apoiar Ciro em SP

Berzoini diz que há espaço para socialista; Marta Suplicy, no entanto, defende candidatura de Antonio Palocci

Carolina Freitas, da Agência Estado,

02 Outubro 2009 | 16h27

Em evento na Câmara Municipal de São Paulo, o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, admitiu nesta sexta-feira, 2, a possibilidade de o partido apoiar uma eventual candidatura do deputado federal Ciro Gomes (PSB) ao governo de São Paulo em 2010. Sentada a poucos metros de Berzoini, a ex-prefeita Marta Suplicy, por sua vez, afirmou defender a candidatura do deputado federal e ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci ao governo.

 

A declaração de Berzoini, feita durante o evento de filiação dos empresários Ivo e Eleonora Rosset, da Valisère, ao PT, vem no mesmo dia em que Ciro transfere seu domicílio eleitoral para o Estado, abrindo a hipótese de lançar-se a governador. Apesar da transferência, Ciro tem deixado clara sua pretensão de concorrer à Presidência nas próximas eleições.

 

"Há espaço para Ciro ser candidato em São Paulo com o apoio do PT", afirmou Berzoini, após participar, na Câmara Municipal, da cerimônia de filiação ao PT do empresário Ivo Rosset e da psicanalista Eleonora Rosset. "O PT é um partido democrático, onde os caciques não impõem à base nenhuma decisão. Pelo debate sobre o futuro do Brasil, há espaço para construir isso no PT."

 

Apesar da disposição de Berzoini, o PT estadual trabalha prioritariamente com uma candidatura própria ao governo paulista. Para o presidente do PT-SP, Edinho Silva, a decisão de Ciro de transferir o título mostra a necessidade de "diálogo". "A possibilidade de Ciro concorrer ao governo era uma especulação. Hoje é real, concreta", disse o líder. "A decisão dele formaliza que o PT tem de dialogar com o PSB de uma forma efetiva."

 

Edinho sugeriu que Ciro saia como vice da ministra Dilma Rousseff, possível candidata do PT à Presidência. "A prioridade é construir a vice-presidência com o PMDB, mas não se pode descartar uma liderança como Ciro Gomes."

 

Antonio Palocci

 

Nome forte para concorrer ao Palácio dos Bandeirantes pelo PT, o deputado federal Antonio Palocci esforçou-se em mostrar cordialidade diante da decisão de Ciro. "Como liderança política e como companheiro nosso, Ciro é muito bem-vindo ao debate em São Paulo", disse. "Ele vai ser muito considerado por nós."

 

Sobre sua própria candidatura, no entanto, Palocci esquivou-se de falar. "Não tenho nada a esconder, mas a discussão não se coloca agora", afirmou. "Primeiro decidiremos o cenário nacional, depois os Estados."

 

A ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy - também sondada para concorrer ao governo estadual - evitou fazer prognósticos sobre o destino de Ciro. "O cenário é muito nublado, não temos de fazer análises precipitadas." A respeito da hipótese de concorrer ao Executivo paulista, Marta disse não estar entre suas preferências. "Governo não é a minha prioridade. Vou ser candidata em 2010, mas estou na campanha por Palocci em São Paulo."

 

Palocci e Marta foram, cada um a seu tempo, saudados com gritos de "governador" e "governadora" por pessoas da plateia, formada por mais de 300 pessoas.

 

Veja Também

linkIvo e Eleonora Rosset, donos da Valisère, assinam filiação ao PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.