CNM suspende vídeo sobre 'calvário' de prefeitos

Com exibição prevista durante a sabatina dos pré-candidatos à Presidência da República, o vídeo "O calvário dos prefeitos para conseguir recursos" acabou vetada pela assembleia da Confederação Nacional de Municípios (CNM). A peça foi criticada por representantes da pré-candidata Dilma Rousseff (PT). Segundo a assessoria da petista, o vídeo foi considerado ofensivo ao governo e não condizente com a realidade. Dilma, no entanto, não o teria assistido.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

19 Maio 2010 | 21h12

Em três minutos, a animação narra a história de um prefeito em sua "jornada cansativa e repetitiva" em Brasília para conseguir a liberação de emendas parlamentares. Após sucessivas viagens, problemas com documentação e atrasos nas verbas, ele é preso por pagar a obra com recursos do orçamento.

Segundo o presidente da CNM, Paulo Ziulkosk, representantes do PT alegaram que a peça seria prejudicial a Dilma por criticar um cenário da administração federal. Ele discorda. "Não é do governo atual. Aquele é o símbolo de todos os governos que, na nossa avaliação, é uma instituição perniciosa para tudo isso que discutimos aqui."

Representantes do PSDB teriam se mostrado favorável à exibição, enquanto os da pré-candidata Marina Silva, por sua vez, alegaram que a decisão final deveria ser da própria CNM. Para Ziulkoski, o veto foi plenamente "democrático e justificável". "Optamos em não mostrar o vídeo, porque era proposta do movimento ouvir com transparência a todos, obter consenso", afirmou.

O vídeo seria exibido durante a apresentação de uma das perguntas finais. Durante a sabatina, o tucano José Serra perguntou pelo filme: "Cadê o vídeo? Foi tirado provavelmente a pedidos", disse.

Mais conteúdo sobre:
vídeo CNM prefeitos PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.