1. Usuário
Assine o Estadão
assine

CNBB cobra dos partidos compromisso com programas

João Carlos de Faria - O Estado de S.Paulo

09 Maio 2014 | 14h 00

Arcebispo de Aparecida lançou documento sobre as eleições de 2014, no qual a entidade avalia que propostas partidárias são parecidas, por isso eleitor não consegue diferenciá-las

APARECIDA - O arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno Assis, pregou na manhã desta sexta-feira, ao final da 52ª Assembleia Geral dos Bispos, realizada na cidade, que os partidos políticos brasileiros precisam se fortalecer e rever seus programas de atuação.

"Nós sabemos que, infelizmente, nossos partidos políticos não tem realmente um programa partidário, ou se tem, eles são todos parecidos. Gostaríamos que nossos partidos fossem fortes, que tivessem um programa que realmente diferenciassem um ou outro para que o eleitor, conhecendo os objetivos, os valores que defende e os projetos daquele partido, possa fazer sua opção muito mais consciente, mais livre, com conhecimento", disse o religioso.

O comentário de Dom Damasceno foi feito em função do documento divulgado ao final do encontro, denominado "Pensando o Brasil: Desafios Diante das Eleições de 2014". Ele explicou que o documento ainda vai ser discutido nas várias instâncias da Igreja no país, principalmente nas dioceses e paróquias.

O arcebispo disse que os programas partidários "quase todos são muito semelhantes". O desejo da Igreja, segundo ele, é que os partidos sejam fortalecidos, que sejam sólidos e programas que defendam valores éticos, morais como a família, liberdade de imprensa, educação.

"Que eles tenham em conta os mais pobres, os mais excluídos, que procurem trabalhar pela inclusão. Fortalecer os partidos significa os partidos com programas", disse. Dom Raymundo destacou que a realidade mostra muitos políticos se elegendo por um partido e depois passando para outro.

"Isso significa o quê? Que não há compromisso com o programa, com determinados valores.Ele muda de partido, de legenda, muitas vezes por interesses pessoais, momentâneos, circunstanciais, sem um compromisso com um projeto. É isso que nós queremos mudar", afirmou.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo