1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Cid Gomes fica no governo até o fim do mandato

CARMEN POMPEU - Agência Estado

04 Abril 2014 | 18h 17

O governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), cumprirá seu mandato até o dia 31 de dezembro deste ano. Com a permanência no governo, ele e o irmão, Ciro Gomes, ficam inelegíveis para as eleições de outubro deste ano. Também torna-se mais distante o desejo da presidente Dilma Rousseff de contar com um palanque amplo no Ceará, unindo PROS, PT e PMDB. A tendência é que os irmãos Gomes lancem um candidato do PROS à sucessão contra o senador Eunício Oliveira (PMDB), que lidera as pesquisas e se mostra firme em não recuar na candidatura ao governo.

Cid cogitou renunciar para que Ciro pudesse disputar a única vaga ao Senado que cabe ao Ceará esse ano. Mas o vice-governador, Domingos Filho, recusou-se a renunciar junto com Cid, o que facilitaria a execução de uma estratégia que previa Zezinho Albuquerque (PROS), presidente da Assembleia Legislativa, cumprir o restante do mandato de Cid Gomes.

O processo resultou em desgaste na relação do governador com seu vice. Domingos Filho é filiado ao PROS. Ex-aliado de Eunício Oliveira, ele deixou o PMDB na esperança de ser escolhido por Cid como candidato à sucessão. Agora, com Cid mantendo-se no comando, ele e Ciro terão mais tempo para a construção de uma coligação para tentar vencer os desafios que surgem com a pré-candidatura do senador Eunício Oliveira. No páreo como pré-candidatos do PRO estão: Zezinho Albuquerque, que conta com a simpatia de Ciro; Izolda Cela, ex-secretária de Educação de Cid e que conta com a preferência de Ivo Gomes, o caçula dos irmãos; o ex-secretário dos Portos, Leônidas Cristino, o favorito de Cid; além do deputado estadual Mauro Filho.