1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cid Gomes evita discussão sobre alianças no Ceará

ERICH DECAT - Agência Estado

29 Janeiro 2014 | 18h 13

De passagem por Brasília nesta quarta-feira, 29, o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), não quis avançar na discussão sobre a composição das alianças na disputa pela sua sucessão em outubro. "Tive com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e tratamos sobre o tema na linha do que sempre disse. Genericamente, eu desejo manter a aliança. Essa aliança é ampla e tem a participação do PROS, PT, PMDB e outros partidos tradicionais aliados e alguns novos que chegaram agora", afirmou Cid Gomes.

O governador se encontrou na tarde desta quarta em Brasília com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que deve assumir a Casa Civil e a articulação política do Palácio do Planalto. Segundo Gomes, na reunião não foi tratada a questão da reforma ministerial nem sobre a disputa no Estado, onde o PMDB pode deixar a aliança caso o senador Eunício Oliveira não receba o apoio do PROS e do PT na disputa pelo governo local.

Ao ser questionado sobre um possível apoio ao senador, Cid se esquivou. "Não vou comentar sobre candidatura a, b, ou c. Em tese, é natural que qualquer pessoa aspire, tenha o desejo, o sonho, e o projeto de ser governador do seu Estado". Para ele, ainda não é o momento de se discutir sobre a disputa eleitoral de outubro. "Discussão sobre isso, a meu juízo, não deve ser agora. A gente deve primeiro trabalhar o arco de alianças, na sequência definir projetos e, por último, ver os nomes", afirmou.

Conforme revelou o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, um possível racha no Ceará vem preocupando o ex-presidente Lula em razão de possíveis reflexos no palanque da presidente Dilma Rousseff no Estado. Na segunda-feira, 27, Lula se reuniu com o vice-presidente da legenda, deputado federal José Guimarães (CE), que deve se candidatar ao Senado. Na ocasião, o ex-presidente pediu ao deputado para que insista com o PROS e PMDB na manutenção aliança. Um encontro entre Lula e Eunício Oliveira deve ocorrer nesta quinta-feira, 30, em São Paulo.

Na bagagem, o peemedebista pretende levar o histórico da última eleição em que recebeu 2,6 milhões de votos para o Senado, número superior ao do governador Cid Gomes que foi reeleito com 2,4 milhões de votos. Além do desempenho eleitoral, Eunício quer tentar convencer Lula a apoiá-lo apresentando as últimas pesquisas que o mostrariam na frente na disputa estadual.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo