1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cid Gomes deve anunciar hoje se deixa governo do CE

IGOR GADELHA, ESPECIAL PARA A AE - Agência Estado

03 Abril 2014 | 18h 09

Às vésperas do prazo legal para desincompatibilização, o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), deve anunciar na noite desta quinta-feira, 03, se renuncia ou se permanece no cargo. O anúncio deve ser feito durante a inauguração de uma Policlínica no município de Limoeiro do Norte, a cerca de 200 km da capital, Fortaleza. Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que a expectativa é de que Cid anuncie sua saída do governo. Dizem, contudo, que ele não deve antecipar nada sobre a possível candidatura do irmão, o ex-ministro Ciro Gomes, ao Senado.

O provável anúncio da renúncia de Cid ganhou ainda mais indícios nesta tarde, quando deputados estaduais foram convocados para uma sessão extraordinária, na qual deverão votar um pacote de mensagens enviadas pelo governador cearense de última hora. De acordo com a assessoria da Assembleia Legislativa do Ceará, os projetos tratam sobre reajustes salariais a servidores do Estado e criação de vagas para concurso público. Na sessão desta manhã, outras seis mensagens do Governo já tinham começado a tramitar.

Outro indício de que o chefe do Executivo Estadual deverá renunciar ao cargo, informam as mesmas fontes, é a convocação feita por sua assessoria para a inauguração da Policlínica em Limoeiro do Norte. Assessores convocaram toda a imprensa cearense e nacional, tendo disponibilizado uma van para levar os jornalistas à cidade. A assessoria do governador informou também que todos os políticos apontados pela imprensa como prováveis candidatos à sucessão de Cid, secretários de Estado e vários prefeitos da região também estarão presentes no evento.

A possível saída antecipada de Cid teria o objetivo de possibilitar a candidatura do irmão, Ciro Gomes, ao Senado nas eleições de outubro. O ex-ministro, contudo, tem reiterado que não deseja ser candidato, mas não descarta a possibilidade totalmente. Segundo fontes ouvidas pela reportagem, a indecisão de Ciro seria o motivo pelo qual Cid não deve antecipar nada hoje sobre a candidatura do irmão ao Senado, bem como sobre se o PROS terá candidato próprio ou se apoiará algum aliado na disputa pelo governo em outubro. O anúncio deve ficar para junho, mês das convenções partidárias.

O grande empecilho no anúncio de Cid de renunciar ou não o mandato seria a indicação de quem será o governador "tampão" que o substituirá pelos próximos nove meses. Conforme apurou a reportagem, o vice-governador, Domingos Filho (PROS), primeiro na lista de sucessão, quer assumir o Executivo durante esse tempo. Cid, contudo, estaria querendo indicar outra pessoa para o cargo. Segundo na lista, o presidente da Assembleia, José Albuquerque (PROS), mais próximo de Cid, também não desejaria o posto neste momento.

Essas pendências teriam sido o motivo pelo qual o encontro de Cid Gomes e de aliados mais próximos na tarde desta quarta, 02, para discutir a sucessão, não teria sido conclusivo. Em razão disso, uma nova reunião foi marcada para a noite desta quinta-feira, após a inauguração da Policlínica. A assessoria do governador informou que ele não cumpriu nenhuma agenda oficial hoje e passou o dia na residência oficial.

Se Cid sair mesmo do governo, o anúncio terá de ser feito até esta sexta-feira, 04, para que haja tempo hábil para o processo de sucessão. O anúncio é esperado por vários partidos da base aliada, principalmente PT e PMDB. Isso porque uma possível candidatura de seu irmão Ciro Gomes vai contra o desejo do PT de indicar o vice-presidente nacional do partido, deputado José Guimarães, ao Senado Federal com o apoio do PROS. Ao mesmo tempo, representa uma esperança para o senador Eunício Oliveira, líder do PMDB no Senado, de obter o apoio dos irmãos Ferreira Gomes à candidatura dele ao governo do Estado nas eleições deste ano.