1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Chefe de segurança de Dilma será promovido a general

TÂNIA MONTEIRO - Agência Estado

27 Março 2014 | 20h 44

O general de brigada Marcos Antônio Amaro dos Santos será promovido ao posto de general de divisão e ganhará a terceira estrela nas promoções do dia 31 de março. O general Amaro será mantido no mesmo cargo, ou seja, continua como Secretário de Segurança da Presidência da República, responsável pela segurança pessoal da presidente Dilma Rousseff e de toda a sua família.

Com isso, Dilma segue uma mudança de conduta adotada pelo ex-presidente Lula, que estabelece que o chefe da segurança (cargo que era de coronel anteriormente) acompanhe o chefe de Nação durante todos os anos de seu governo. Antes eles ficavam apenas dois anos no cargo e eram substituídos sempre por outro coronel. Foi assim até o presidente Lula chegar.

O general Marcos Edson Gonçalves Dias chegou lá como coronel e saiu de lá com três estrelas, depois de duas promoções, sempre ao lado de Lula. Hoje, Gonçalves Dias, que perdeu o posto de comandante da 6ª Região Militar, em Salvador, para o qual foi nomeado quando Lula deixou o Planalto, depois de se confraternizar com PMs grevistas, está na reserva e agora é assessor na Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Promoções

Os nomes dos 85 militares que terão suas promoções publicadas no Diário Oficial do dia 31 de março foram apresentados pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, à presidente Dilma Rousseff, em despacho no Planalto, na tarde desta quinta-feira. São 46 promovidos no Exército, 25 na Aeronáutica e 14 na Marinha.

O nome para a promoção de Amaro, do posto de general de brigada para general de divisão, foi escolhido na última reunião do alto comando do Exército, realizada mês passado e levado hoje para ser chancelado pela presidente Dilma.

Junto com as promoções, algumas movimentações em comandos e chefias nas Forças Armadas. No Exército, o general Adhemar da Costa Machado Filho deixa o Comando Militar do Sudeste, em São Paulo, onde estava há dois anos e assumirá a chefia do Estado Maior do Exército, segundo posto na hierarquia da Força.

A Amazônia, área considerada estratégica pelo governo, também terá novo comandante. Assumirá o posto o general Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, que receberá a quarta estrela em 31 de março. Ele substituirá o general Eduardo Villas Boas, que será o novo Comandante de Operações Terrestres (Coter), em Brasília.