1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Cerca de 50 pessoas fazem protesto pró-impeachment em frente ao STF em Brasília

- Atualizado: 24 Março 2016 | 19h 24

Manifestaram chegaram a hostilizar comitiva de chineses com gritos de 'fora, comunistas'; parte do grupo está próxima ao STF com a justificativa de vigiar para não haver 'qualquer tipo de privilégio para o Lula'

Brasília - Cerca de 50 pessoas protestam a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff no início da noite desta quinta-feira, 24, próximo à sede do Supremo Tribunal Federal (STF). Com bandeiras do Brasil e pixulecos de Dilma e do ex-presidente Lula, os manifestantes também protestam a favor das investigações na Operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção na Petrobrás.

A maioria dos motoristas que passa pelo local buzina em apoio à manifestação. Entre esses apoiadores, a reportagem presenciou uma viatura do 1º Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do Distrito Federal. Já os motoristas que protestam contrários ao protesto são chamados de "comunistas", "corruptos" e "bandidos" pelos manifestantes.

Mais cedo, os manifestantes hostilizaram uma comitiva de chineses que, segundo eles, faria uma visita ao STF. Os estrangeiros deixaram o local sob gritos de "fora, comunistas", conforme vídeo mostrado pelos manifestantes à reportagem.

Parte dos manifestantes está acampada no gramado atrás do Congresso Nacional e ao lado do STF desde o último domingo, 20, como forma de pressionar o Supremo a não tomar decisões favoráveis ao ex-presidente Lula. "Vamos focar aqui para que não haja qualquer tipo de privilégio para o Lula", disse a procuradora aposentada Beatriz Kicis.

De acordo com Kicis, um ônibus e uma van com manifestantes do Rio Grande do Sul deve chegar ainda nesta noite a Brasília para se juntarem ao protesto. Até terça-feira, ela espera que cheguem outros dois ônibus de Goiás e um de São Paulo.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX