1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Candidato do PSC quer privatizar Petrobrás

VALMAR HUPSEL FILHO - O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2014 | 02h 01

Pastor Everaldo defende Estado mínimo no 'Jornal Nacional', prega redução do ministério e reitera ser contra legalizar aborto

Candidato do PSC à Presidência, Pastor Everaldo disse ontem que, se eleito, vai privatizar todas as empresas que, segundo ele, são foco de corrupção, entre elas a Petrobrás. "A empresa que já foi orgulho nacional hoje é foco de corrupção, com dívida de mais de R$ 300 milhões. Vou privatizar. O petróleo é nosso, mas a Petrobrás não", disse em entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo.

Everaldo defendeu o ideal neoliberal do Estado mínimo, reduzindo o número de ministério dos atuais 39 para 20, e disse que vai fazer "privatização em tudo o que for possível".

"Tudo o que for possível vamos passar para a iniciativa privada e alocar na saúde, educação e segurança pública", afirmou. Everaldo negou, no entanto, ter intenção de privatizar o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, instituições que, segundo ele, "representam a segurança do sistema financeiro".

Everaldo foi o quarto presidenciável entrevistado pelo programa - já participaram a presidente Dilma Rousseff, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Coma morte de Campos, no dia seguinte à entrevista, o JN abriu espaço para quem for concorrer em seu lugar. O nome de Marina Silva deve ser confirmado hoje e sua entrevista deve ocorrer na semana que vem, ainda sem data definida.

Pastor Everaldo criticou o aparelhamento do governo Dilma. "Ela contrariou os princípios que eu acredito. O governo está sufocando, quer tomar conta de tudo", disse. O PSC apoiou o governo Dilma até janeiro deste ano, quando adotou uma postura "independente".

Ligado à Assembleia de Deus, o candidato dirigiu-se ao telespectador nas suas considerações finais como "meu irmão e minha irmã" para defender temas simpáticos ao eleitorado evangélico. Disse que ser favorável à "vida desde a concepção" e "a família como está na Constituição brasileira", numa referência ao posicionamento contrário ao aborto e ao casamento homossexual. "Somos um país democrático e respeito todas as pessoas, mas casamento para mim é homem e mulher", disse o candidato, que também é contra a legalização das drogas.

Entrevistas Estadão. Hoje, Pastor Everaldo será entrevistado ao vivo no estúdio da TV Estadão. A transmissão começa às 16 horas no portal estadao.com.br e no canal do Estadão no YouTube. Internautas podem enviar perguntas pelas redes sociais. A série Entrevistas Estadão vai entrevistar até a próxima semana os principais candidatos à Presidência da República.

  • Tags: