1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Campos critica pressão de aliados sobre candidaturas locais

Fabio Guibu, especial para o Estado - O Estado de S. Paulo

21 Janeiro 2014 | 15h 49

'Tem muita gente falando', afirmou o governador de Pernambuco e possível candidato à Presidência, para quem o debate sobre as alianças "sequer se iniciou"

RECIFE - O governador de Pernambuco e possível candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, mandou um duro recado nesta terça-feira, 21, para os aliados que insistem em discutir candidaturas para a sucessão nos Estados, antes da definição das diretrizes do programa nacional do partido para 2014.

Sem citar nomes, Campos disse que há pessoas, por falta de "coragem", agem repassando informações sob a condição do anonimato e outras que trabalham por interesse próprio, usando a imprensa para tentar promover suas ideias.

"Tem muita gente falando", reclamou o governador. Mas, segundo ele,"poucas pessoas têm coragem de falar em 'on' (citando a fonte)". "Alguns falam a verdade, outros falam seguindo seus interesses, tentando usar veículos para se posicionar num debate que sequer se iniciou", declarou Campos.

Questionado se o recado também se direcionava a São Paulo, onde o PSB se divide entre lançar candidato próprio ou manter o apoio ao PSDB, Campos foi incisivo: "Vale para todos os Estados", disse.

Sucessão. Em Pernambuco, onde o nome do secretário estadual da Casa Civil, Tadeu Alencar, um "calouro" em disputas eleitorais, surge como provável candidato à sucessão no Estado, o governador disse que não tratou do tema "absolutamente com ninguém".

"Quando eu começar esse debate, vou dizer à imprensa de maneira clara e transparente, como fiz todas as vezes", afirmou. "Por ora, eu estou focado na ação de governo, a população não está ligada no debate sucessório, não está querendo me ver discutindo isso", afirmou.

A cúpula nacional do PSB se reúne na noite desta terça, 21, em Recife, para discutir as diretrizes do programa nacional do partido. Apesar de integrar a legenda e ser cotada para ocupar o cargo de candidata a vice na chapa de Campos, Marina Silva não comparecerá ao evento.

O governador explicou a ausência afirmando que a cúpula da Rede Sustentabilidade, partido que Marina ainda tenta legalizar na Justiça Eleitoral, já fez a sua reunião na semana passada.