Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Câmara não vai 'armar' pautas bombas, diz Alves

Política

Câmara não vai 'armar' pautas bombas, diz Alves

Em um pronunciamento em tom de desabafo de abertura dos trabalhos legislativos do ano, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou nesta segunda-feira, 03, que não poderia "aceitar calado" que se queiram acusar o Legislativo de interesse em votar projetos que possam causar impactos fiscais para o governo. "Quero aqui registrar que esta Casa jamais armaria bombas ou pautas bombas para qualquer matéria", disse. "A discussão neste plenário não é para armar, é para desarmar", completou ele.

0

RICARDO BRITO, RICARDO DELLA COLETTA E DAIENE CARDOSO,
Agência Estado

03 Fevereiro 2014 | 19h01

No ano passado, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, chegou a estimar em R$ 60 bilhões o impacto para os cofres públicos das propostas que aumentam gastos. A principal delas é a que institui pisos salariais nacionais para categorias, como agentes comunitários e agentes penitenciários. Numa referência à época da ditadura militar, quando o Parlamento chegou a ser fechado, o presidente da Câmara disse que, como parlamentar com 42 anos nesta Casa, o Legislativo sempre esteve de portas abertas nos momentos em que o País se aquietava e se afligia. "Esse verbo armar está equivocado, é injusto com esse parlamento, deve-se falar em desarmar. Esta Casa não vai permitir (isso)", completou.

A sessão contou com a presença do novo ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, responsável por trazer a mensagem presidencial, os presidentes do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), entre outras autoridades.

Mais conteúdo sobre: