Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Câmara decide na próxima semana se abre processo de cassação de João Paulo

Política

Política

mensalao

Câmara decide na próxima semana se abre processo de cassação de João Paulo

Mesa Diretoria também vai discutir se suspenderá salário e demais benefícios ao deputado, preso por envolvimento no mensalão

0

O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2014 | 12h54

A Mesa Diretora da Câmara deve decidir na próxima semana se abrirá processo de cassação contra o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), preso nessa terça-feira, 4, por envolvimento no mensalão. A Casa também vai decidir se suspenderá o salário e demais benefícios a que o parlamentar tem direito.

Antes de ser preso, João Paulo Cunha reafirmou que não pretende renunciar ao mandato, diferentemente dos outros três deputados condenados no julgamento, José Genoino (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP). Em 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) já se manifestou pela perda automática de mandato em casos de condenação.

A Mesa Diretora decidiu, em julho do ano passado, suspender os benefícios do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), determinou a interrupção do pagamento do salário, das verbas de gabinete e a entrega do apartamento funcional, mesmo após Donadon ter o mandato mantido pelos colegas em sessão que analisou o pedido de cassação.

O caso de João Paulo Cunha, no entanto, é considerado diferente pois o petista foi condenado a regime semiaberto. Donadon cumpre pena em regime fechado. A diferença poderá interferir na decisão da Mesa Diretora.

João Paulo Cunha foi condenado a 6 anos e 4 meses de prisão por peculato e corrupção. Não cabe mais recurso em relação a esses crimes. Ele foi condenado a mais 3 anos de prisão por lavagem de dinheiro, mas terá direito a nova análise da pena pelo STF.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.