1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Calheiros viaja a Roma para ver canonização de Anchieta

DÉBORA ÁLVARES - Agência Estado

23 Abril 2014 | 20h 21

Em uma semana decisiva para a CPI da Petrobras, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), vai passar seis dias na Itália. Ele participará da missa em ação de graças pela canonização de José de Anchieta, que será celebrada nesta quinta-feira, 24, pelo Papa Francisco na Igreja de Santo Inácio de Loyola, em Roma. Renan se licenciou da presidência do Senado entre os dias 23 e 28 de abril. O requerimento que autoriza a missão oficial, para a qual também foi escalado o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que preside a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) da Casa, foi aprovado no plenário do Senado.

Como se trata de missão oficial, a viagem será custeada pelo Senado, que vai desembolsar pelo menos R$ 9 mil, isso sem incluir os valores da passagens. O ato da Casa que disciplina o pagamento de diárias estipula em US$ 416 a quantia paga por dia a cada senador que viaja para países fora da América do Sul. O regulamento, contudo, não deixa claro se nesse valor está incluso o pagamento de hospedagem.

O vice-presidente da República, Michel Temer, também acompanhará a cerimônia. Apesar de participarem do mesmo evento, Temer e Renan viajam em voos separados. Com essa viagem, o presidente do Senado passará 12 dias distante do Congresso Nacional. Segundo os registros de voos da Força Aérea Brasileira (FAB), ele viajou para Alagoas no último dia 17 para passar o feriado da Páscoa, de onde só retornou no fim da tarde de ontem. Ele, contudo, não chegou a ir até o Senado.

A ausência de Renan foi uma das mais notadas na votação do Marco Civil da Internet na noite desta terça-feira. Ele foi um dos principais articuladores que possibilitou a aprovação na velocidade desejada pela presidente Dilma. A previsão é que Renan esteja no Senado na terça-feira da próxima semana. Na quinta-feira, 1º de maio, não haverá trabalhos no Congresso devido ao Dia do Trabalhador.