1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Calheiros diz buscar convergência sobre CPI da Petrobras

RICARDO BRITO - Agência Estado

01 Abril 2014 | 13h 52

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira, 1º, que vai conversar com os líderes partidários para decidir qual o encaminhamento que dará ao pedido de criação da CPI da Petrobras. Na chegada ao Senado, Calheiros disse que pretende construir com os líderes partidários "uma convergência" em relação ao pedido.

Na semana passada, a oposição protocolou pedido de criação da CPI da Petrobras no Senado. Contudo, os oposicionistas decidiram nesta manhã que não vão cobrar a leitura do requerimento de criação da comissão a Renan hoje porque pretendem apresentar até amanhã outro requerimento de formação de CPI, só que desta vez formada por deputados e senadores.

Calheiros disse que até agora não recebeu nenhum pedido em relação à CPI do Senado. "O que a oposição vai fazer ou o que a bancada do governo também vai fazer, só saberemos quando eles materializem as intenções. Por enquanto, essas coisas estão no plano das intenções", afirmou.

Após uma eventual leitura do requerimento de CPI, os senadores têm até a meia-noite do dia da leitura para retirar ou acrescentar assinaturas. A CPI da Petrobras no Senado tem, no momento, 29 apoios, dois a mais que o mínimo necessário.

Caso a oposição consiga fazer uma CPI mista, a tendência é que demore mais para ser instalada. Isso porque a próxima sessão do Congresso está marcada para o dia 15 de abril. Somente nessa data é que poderá ser feita a leitura do requerimento de criação da comissão. Para instalar uma CPI mista é preciso recolher pelo menos 171 assinaturas de deputados e 27 de senadores.