1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cabral diz que PMDB do Rio apoiará a reeleição de Dilma

Thaise Constâncio, enviada especial - Agência Estado

14 Março 2014 | 17h 18

Governador do Rio reitera apoio à presidente um dia após almoço no qual Dilma afirmou que candidatura de Lindbergh era 'invenção' de Lula

ITATIAIA - O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) afirmou nesta sexta-feira, 14, que o diretório estadual do partido apoiará a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) ao Planalto. Ao lado do vice-presidente da República, Michel Temer, do vice-governador e futuro candidato ao governo do Estado, Luiz Fernando Pezão, dos senadores do PMDB Ricardo Ferraço (ES) e Valdir Raupp (RO), que também é presidente nacional do partido, Cabral participou da inauguração de uma fábrica de cobre em Itatiaia, cidade no Sul-Fluminense.

"O PMDB do Rio é Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014. Somos parceiros e não há nenhum tipo de empecilho. A política é feita de idas e vindas". Ele reiterou que deixará o governo em 20 dias.

Cabral comentou a posição de deputados do partido, que formaram o blocão e têm agido como oposição na Câmara. "Compreendo meus companheiros do PMDB que, às vezes ficam chateados, entristecidos com a postura de companheiros do PT do Rio. Mas temos que superar isso porque estamos juntos há sete anos e três meses em uma parceria extraordinária para o Estado do Rio".

Ele criticou a saída antecipada do PT do governo estadual e o lançamento da candidatura própria de Lindbergh Faria. "A população não vai compreender aqueles que saem do meu governo para falar mal, faltando poucos meses para acabar. O ministro (Aloísio) Mercadante e a presidente Dilma (Rousseff) disseram isso claramente ontem".

Cabral contou como foi o encontro de quinta-feira, 13, em Brasília com a presidente Dilma, o ministro da Casa Civil, Aloísio Mercadante, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvati, Pezão, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes para discutir a parceria no Rio.

O governador afirmou que o diretório do Rio votará "majoritariamente" a favor da manutenção da parceria entre PT e PMDB na convenção nacional peemedebista, prevista para junho. "Estaremos juntos nas ruas, pedindo votos e nada nos atrapalhará".

O vice-presidente Michel Temer não comentou os impasses internos do PMDB nem a escolha de Vinicius Nobre Lage para o ministério do Turismo e Neri Geller como ministro da Agricultura. Em reunião com assessores durante a semana ele disse que acatará a decisão do partido.