Brasil tem samba em ritmo de máfia, diz El País

Jornal trata das acusações de fraude nos resultados do carnaval do Rio de Janeiro

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h40

As acusações de que o resultado do Carnaval do Rio de Janeiro deste ano possa ter sido influenciado por propinas e ameaças aos jurados "caiu como uma bomba" na "cidade do futebol fantástico e das praias de sonho", segundo afirma reportagem publicada nesta quarta-feira pelo diário espanhol El País. Sob o título "Samba em ritmo de máfia", o jornal comenta que "a Polícia Federal investiga se as ameaças e presentes recebidos por membros do júri de pessoas ligadas à máfia local influenciaram no resultado deste ano, no qual a escola Beija-Flor conseguiu a vitória". "Para os cariocas, habitantes do Rio de Janeiro, o evento mais importante do mundo é o Carnaval, e o concurso das escolas de samba que durante várias noites desfilam pelo sambódromo adquire paradoxalmente as características de uma liturgia quase sagrada em uma festa que deveria ressaltar o mundano", observa a reportagem. O jornal afirma que o Carnaval já é "muito mais que uma festa" e que o concurso das escolas de samba movimenta "muito dinheiro". Irmãos de Lula As investigações da Polícia Federal envolvendo Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, são destacadas nesta quarta-feira em reportagem do diário argentino Clarín, que relata que o escândalo agora envolve também outro irmão, José Ferreira da Silva, o Frei Chico. "O envolvimento de Frei Chico foi um golpe para o chefe de Estado brasileiro", afirma a reportagem. "Ainda que sua participação tenha se limitado a advertir Vavá, o mais afetado, de que deveria ‘parar’ com suas vendas ingênuas de ‘influências’ que nunca puderam se concretizar a empresários de não muito boa índole." O jornal relata a argumentação de Lula de que Vavá "é um ser ‘limitado’, sem condições de fazer nenhum tipo de lobby". "Algo que a própria Polícia Federal reconhece", diz o Clarín. Para a reportagem, é curioso que "o caso estoure quando tudo parecia estar em calma, e ninguém sabe como nem por que surgiu". "De repente, os irmãos de Lula se viram envolvidos em uma história de conspirações quando Lula estava no exterior." O jornal diz ainda que "não deixa de chamar a atenção que com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a imprensa tenha evitado e ocultado situações dessa magnitude que teriam se mostrado extremamente incômodas a ele". "Salvo algumas exceções, poucas vezes se lembra que o ex-presidente tem mais de 200 processos contra ele, freados pelo atual governo." Ajuda Reportagem publicada pelo The Wall Street Journal relata o projeto do governo americano de destinar US$ 200 milhões para ajudar a expansão de pequenos negócios na América Latina. Segundo o jornal, o anúncio do plano "ocorre em meio a crescentes dúvidas na América Latina sobre o valor da globalização econômica e, especialmente, das ligações comerciais com os Estados Unidos". O jornal atribui o projeto a uma reação ao crescimento do "populismo anticapitalista" na região. A reportagem observa que "o sentimento anti-Estados Unidos está crescendo na Venezuela, na Bolívia e em outros lugares". O texto lembra ainda que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, "anunciou em março, antes de uma visita a cinco países da América Latina, que seu governo tomaria medidas para aumentar o acesso ao capital para empreendedores na região".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.