André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Novo pedido de impeachment deve ser apresentado na sexta, afirma líder do PSDB

Deputado Carlos Sampaio afirmou que iniciativa de apresentar novo pedido foi tomada em razão das liminares concedidas por ministros do Supremo contra o rito de impedimento da presidente

IGOR GADELHA, O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 18h20

Após reunião com lideranças da oposição na tarde desta terça-feira, 13, em seu apartamento, o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), anunciou que os juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaina Pascoal deverão apresentar na próxima sexta-feira, 16, novo pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo ele, a decisão foi tomada em razão das liminares concedidas nesta terça, 13, por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendendo o rito de análise dos antigos processos de afastamento de Dilma informados pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em questão de ordem feita pela oposição.

"Na questão de ordem que fizemos, o presidente da Câmara disse que era possível aditamento, por isso aditamos. Com a decisão do STF suspendendo essa questão de ordem, vamos juntar os três aditamentos que tínhamos feitos e apresentar um novo pedido", explicou Sampaio. De acordo com ele, o novo pedido vai incluir como justificativa tanto as "pedaladas fiscais" praticadas pelo governo federal em 2014 - e já julgadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na semana passada - quanto a de 2015, apontada em relatório do Ministério Público de Contas.

O líder do PSDB afirmou que Cunha prometeu, durante reunião com líderes da oposição na manhã desta terça-feira, deliberar sobre o novo pedido de impeachment já na próxima semana. O tucano disse também que o peemedebista deverá apresentar um agravo regimental ao STF, para que a Corte revogue suas decisões liminares e mantenha a questão de ordem. De acordo com o tucano, as lideranças da oposição deverão assinar o pedido como "amicus curiae" (amigos da causa).

Participaram da reunião os líderes do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR); do SD, Arthur Maia (BA); da Minoria, Bruno Araújo (PSDB-PE); do DEM, Mendonça Filho (PE), e os deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, presidente nacional do SD.

Mais conteúdo sobre:
impeachment Carlos Sampaio PSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.