ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Bastidor: presença de Lula quebra gelo entre PT e PCdoB

A relação entre os dois partidos havia esfria depois que os comunistas anunciaram intenção de ter candidatura própria em 2018

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2017 | 22h36

A ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ato de lançamento da pré-candidatura de Manuela D’Ávila ao Palácio do Planalto serviu para quebrar o gelo entre o PT e o PCdoB, aliados históricos cuja relação esfriou depois do anúncio de que os comunistas podem ter candidatura própria em 2018.

+++ 'Não acho difícil ganhar essas eleições', diz Lula

+++ Lula diz não ter os R$ 24 mi que PGR quer bloquear

Segundo dirigentes do PT e do PCdoB, muitos petistas foram pegos de surpresa com o lançamento do nome de Manuela. O PT esperava o apoio incondicional da legenda à pré-candidatura de Lula desde o primeiro momento, o que sempre ocorreu após a redemocratização. O PCdoB apoiou o PT nas eleições nacionais sem nunca ter nem sequer conseguido indicar o candidato a vice nas chapas presidenciais.

Para dirigentes do PCdoB, ao lançar Manuela o partido manda um sinal para o PT dizendo que os tempos agora são outros. A direção petista entendeu o recado e entrou em alerta. Mesmo avaliando que a candidatura da deputada gaúcha tem poucas chances de vingar e que ela tenta se cacifar para disputar o governo do Rio Grande do Sul, petistas julgam ser fundamental manter o apoio do PCdoB para evitar a sensação de que Lula está isolado.

Líderes dos dois partidos também preveem dificuldades nas negociações para costura de alianças nas disputas pelos governos estaduais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.