Reprodução
Reprodução

Barômetro Político marca parceria entre Estadão e Ipsos

Barômetro ouve mensalmente cerca de 1.200 pessoas em 72 municípios e faz parte do Pulso Brasil, pesquisa da Ipsos que monitora a opinião pública sobre política, economia, consumo e questões sociais

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2017 | 17h44

A publicação nesta quinta-feira, 23, dos resultados do Barômetro Político, agora renomeado Barômetro Político Estadão-Ipsos, marca o início de uma parceria entre o principal jornal brasileiro e a terceira maior empresa de pesquisas do mundo.

+++ Aprovação a Huck cresce 17 pontos, afirma Ipsos

Levantamento que mede a popularidade das principais figuras públicas do País, o Barômetro ouve mensalmente cerca de 1.200 pessoas em 72 municípios e faz parte do Pulso Brasil, pesquisa da Ipsos que monitora a opinião pública sobre política, economia, consumo e questões sociais.

VERA MAGALHÃES: Apresentador se beneficia de maior exposição política

ELIANE CANTANHÊDE: Huck vira o 'novo' com Doria fora

Com histórico desde agosto de 2015, o Barômetro tem refletido o descontentamento da população brasileira com a classe política, ao captar, nesse período, o aumento acelerado da desaprovação de nomes como o presidente Michel Temer (PMDB), o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT). 

+++ 'Huck não vai impedir polarização entre Lula e Alckmin', diz Fornazieri

A pesquisa, no entanto, não é um levantamento de intenção de votos, mas a aprovação ou desaprovação da maneira como figuras públicas vêm atuando no país.

+++ Huck chama a atenção por estar no meio do caminho entre Lula e Bolsonaro, diz cientista político

Para acompanhar o lançamento do Barômetro Político Estadão-Ipsos, o Estadão passará a publicar em seu site uma coluna mensal de Danilo Cersosimo, diretor da área de Public Affairs, sobre o cenário político nacional.

+++ Líder do PT diz que candidatura de Huck seria 'desespero' para tentar competir com Lula

Sociólogo pela USP e mestre em estudos urbanos pela University College London, Cersosimo atua há mais de 20 anos em pesquisa social e opinião pública.

+++ 'Aprovação de Huck é natural, mas ainda é cedo', diz estrategista do mercado financeiro

“A parceria com O Estado de S. Paulo acontece em um momento muito importante para o nosso País. Trazer um entendimento total sobre o Brasil e os brasileiros é a missão da Ipsos. Por isso, é um motivo de enorme satisfação contar agora com O Estado de S. Paulo, um dos veículos de comunicação de maior credibilidade do País, para levarmos ao público dados e análises da nossa pesquisa Barômetro Político, que será um importante termômetro no cenário das eleições de 2018.”, avalia Marcos Calliari, CEO da Ipsos no Brasil.

A parceria será complementada pela divulgação, em primeira mão pelo Estadão, de recortes de outras pesquisas Ipsos, nacionais e globais, focadas em consumo, comportamento e tendências.

Entre esses levantamentos está a Ipsos Global Advisor, pesquisa online mensal em 24 países, incluindo o Brasil, sobre temas em discussão no cenário internacional. Entre os assuntos abordados recentemente pela sondagem estão a percepção do populismo no mundo e a avaliação dos sistemas políticos.

“A parceria entre Estadão e Ipsos levará aos nossos leitores um conteúdo de alta qualidade sobre as questões mais atuais e relevantes no Brasil e no exterior”, afirma João Caminoto, diretor de Jornalismo do Grupo Estado.

Fundada em 1975 na França e presente no Brasil desde 1997, a Ipsos é uma empresa independente de pesquisas de mercado, que hoje atua em 88 países e tem mais de 5.000 clientes. É a terceira maior do mundo em sua área, atrás apenas de Nielsen e Kantar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.