1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Barbosa avisou colegas de Supremo que processo do mensalão seria redistribuído

Felipe Recondo e Rafael Moraes Moura - Agência Estado

29 Maio 2014 | 12h 09

Procedimento não é previsto no regimento da Corte e seria um indicativo do plano de aposentadoria do presidente

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, teria avisado na quarta-feira, 28, a colegas da Corte, que iria redistribuir o processo do mensalão. De acordo com um dos integrantes da Corte, isso seria um indicativo do plano de aposentadoria, pois o regimento não prevê a redistribuição de processos que estejam em um gabinete.   Na conversa reservada que teve ontem, Barbosa não avisou que deixaria o tribunal no próximo mês. No entanto, servidores do tribunal já começavam a discutir os preparativos da posse do ministro Ricardo Lewandowski, atual vice-presidente da Corte.   Oficialmente, o processo do mensalão permanece no gabinete de Barbosa, assim como os detalhes da execução das penas dos condenados no caso. Ainda não há definição se o próprio Barbosa levará a plenário os recursos contra a negativa de trabalho externo para parte dos condenados, incluindo o ex-ministro José Dirceu. Se a distribuição do processo for feita imediatamente, caberá ao próximo ministro a decisão de quando levar o caso a plenário.

A notícia sobre a saída de Barbosa do STF foi dada aos jornalistas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que o recebeu na manhã desta quinta-feira, 29, em seu gabinete. Antes, Barbosa teve uma audiência com a presidente Dilma Rousseff. O encontro de Barbosa com Dilma durou menos de 15 minutos, no Palácio do Planalto, e a audiência foi convocada a pedido dele. A assessoria da Presidência da República não informou oficialmente o assunto da reunião.