André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Bancada do PT na Câmara anuncia voto contra Cunha no Conselho de Ética

Em meio aos embates recentes do partido com o governo, parlamentares da sigla fecharam questão e devem se posicionar pela continuidade do processo contra o peemedebista

Ricardo Galhardo, Daiene Cardoso e Daniel Carvalho, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2015 | 14h09

Atualizada às 16h29

São Paulo - A bancada do PT na Câmara decidiu fechar questão contra o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética da Casa. Com isso, os três parlamentares da sigla que compõem o colegiado devem votar pela continuidade do processo que pode levar à cassação de Cunha. A votação deve acontecer na próxima terça-feira, 8, já que a sessão marcada para esta quarta, 2, foi cancelada devido à sessão que ocorria ao mesmo tempo no Congresso, que invialibilizaria a votação do colegiado. 

O líder do partido na Câmara, Sibá Machado (AC), anunciou a decisão nesta tarde. Segundo Sibá, houve uma pressão externa para que os petistas votassem contra o peemedebista. O governo foi comunicado da decisão da bancada, que contraria os esforços do Palácio do Planalto para livrar Cunha do processo, que pode culminar com a cassação de seu mandato.

No final desta manhã, líderes partidários ligados ao peemedebista estiveram com o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, que havia garantido ao grupo o voto dos petistas em favor do arquivo do processo no Conselho.

No fim da reunião da bancada do PT, Sibá disse que era contrário a antecipar a posição dos petistas mas que havia um clamor da militância para que o partido votasse pela continuidade do processo. "Era o clamor dos petistas e isso influenciou muito a posição da bancada", disse. Sibá afirmou não temer chantagem. "Não tenho medo dessas coisas".

Os três representantes da sigla no Conselho Zé Geraldo (PA), Valmir Prascidelli (SP) e Leo de Brito (AC) deixaram a reunião da bancada aliviados com o apoio dos correligionários. "Vamos seguir a posição da bancada, e o governo agora tem que agir (para votar a pauta de interesse do Executivo", afirmou Zé Geraldo.

Redes sociais. Mais cedo, a deputada Maria do Rosario (PT-RS) anunciou a decisão por meio de uma rede social. "Bancada do PT reunida. Decisão é nossos 3 votos pela admissibilidade do processo contra Cunha no Conselho de Ética. Líder Sibá (Machado) anunciará", diz o post da deputada.

Pouco tempo depois, a página oficial da liderança no PT na Câmara, confirmou a informação. "Bancada do @PTnaCâmara vai votar pela admissibilidade do processo contra Eduardo Cunha no Conselho de Ética".

 

A orientação dos deputados petistas no processo contra Cunha é motivo de atrito entre PT e governo. Enquanto o Palácio do Planalto defende que o PT poupe Cunha em troca de o presidente da Câmara não aceitar o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, o PT, pressionado pela sua base, é favorável à continuidade do processo que apura irregularidades cometidas pelo peemedebista.

Na terça, o presidente do PT, Rui Falcão, contrariando o Planalto, anunciou, também pela rede social, apoio à admissibilidade do processo contra Cunha. Antes disso um grupo de deputados liderados pela corrente Mensagem ao Partido conseguiu a adesão de 34 dos 60 deputados petistas a um documento que pede o afastamento imediato do peemedebista da presidência da Câmara e a continuidade do processo no Conselho de Ética.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.