1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Avaliação ótima ou boa do governo Dilma sobe para 35%

EDGAR MACIEL - Agência Estado

03 Julho 2014 | 03h 09

Segundo o levantamento, a Copa do Mundo é apontada como um dos fatores para a melhora do cenário do governo Dilma

A aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), medida pela soma das avaliações "ótimo" e "bom" do governo, ficou em 35%. Em junho, o porcentual era de 33%. Em março do ano passado, antes dos protestos de rua, Dilma chegou a registrar 65% de aprovação entre os eleitores. Segundo a pesquisa, 26% classificam o atual governo como "ruim" ou "péssimo" e 38%, como "regular". Na pesquisa anterior, 28% consideravam o governo "ruim" ou "péssimo" e 38%, "regular".

O levantamento do Datafolha foi feito entre os dias 1º e 2 de julho com 2.857 pessoas em 177 municípios do País. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-00194/2014 e tem margem de erro máxima de 2 pontos porcentuais e nível de confiança de 95%.

Copa do Mundo

Segundo o levantamento, a Copa do Mundo é apontada como um dos fatores para a melhora do cenário do governo Dilma. A proporção de brasileiros que apoiam o evento no Brasil passou para 63%, de 51% em junho. Já o orgulho em sediar o Mundial saltou de 45% para 60%.

Sobre os impactos que a Copa traz para o País, os brasileiros se mostram divididos: 46% consideram que o evento traz mais prejuízos dos que benefícios, enquanto 45% veem mais benefícios do que prejuízos. Outros 9% não responderam.

A pesquisa também perguntou sobre as vaias que a presidente Dilma Rousseff recebeu na abertura do Mundial, na Arena Itaquerão, no último dia 12 de junho. Para 76%, os torcedores que xingaram a presidente agiram mal. Outros 17% acreditam que a ação foi correta. Por fim, os entrevistados responderam sobre os protestos durante a Copa do Mundo e 65% creem que as manifestações são uma vergonha para o País.

Expectativas

A pesquisa Datafolha também perguntou aos entrevistados quais são suas expectativas para o futuro da economia do País. Do total, 30% estão otimistas e acreditam que a situação econômica vai melhorar, ante 26% do mês anterior. Outros 36% (32% em junho) disseram que a economia vai se manter como está e 29% acham que vai piorar, contra 36% do último levantamento.

Questionados sobre a inflação, 58% dos entrevistados disseram acreditar que os preços vão aumentar, 27% esperam que o índice de preços se mantenha estável. Apenas 9% estão otimistas e veem uma possível queda na inflação. Em relação ao último levantamento, os números melhoraram: 64% acreditava em uma alta dos preços, 21% apostava na estabilidade e 7% diziam que a inflação cairia.

Sobre o desemprego, 43% dos entrevistados afirmam que deve aumentar, 31% acham que vai permanecer estável e 21% acreditam em uma queda no número de pessoas sem trabalho.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo