1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Aumento de 10% do Bolsa Família é 'passo populista', diz 'Financial Times'

Fernando Nakagawa - O Estado de S. Paulo

01 Maio 2014 | 07h 59

Jornal britânico lembrou que o reajuste está acima da inflação e o classificou como 'contra-ataque à oposição'

LONDRES - O jornal britânico Financial Times classificou o aumento de 10% dos benefícios do programa Bolsa Família como um "passo populista" antes das eleições presidenciais. Em reportagem, a publicação destaca que o reajuste do valor transferido às famílias pobres será maior que a inflação que gira atualmente em torno de 6%. Para o FT, é a ação "mais agressiva de contra-ataque da presidente contra a oposição".

"O passo populista marca o mais agressivo contra-ataque da presidente contra a oposição, que tenta diminuir sua forte liderança nas pesquisas", diz o FT. A reportagem avalia o reajuste como "acentuado" e destaca que, apesar de Dilma Rousseff continuar líder isolada nas pesquisas de intenção de voto, a medida acontece dias após pesquisas mostrarem queda de Dilma e avanço dos oposicionistas Aécio Neves e Eduardo Campos.

Ao lembrar que o aumento anunciado na noite desta quarta-feira, 30, pela presidente Dilma em cadeia de rádio e televisão é maior do que a inflação, a reportagem diz que a medida reforça o programa de transferência de renda para os mais pobres que foi a marca do período de quase 12 anos de governos do Partido dos Trabalhadores.

O FT lembra ainda que atualmente cerca de 36 milhões de brasileiros recebem o Bolsa Família. "Juntos, formam um grupo que é considerado por analistas como uma base eleitoral leal ao Partido dos Trabalhadores, particularmente no nordeste pobre do País", diz o texto.