1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Argôlo alega problemas cardíacos e pede licença médica da Câmara

Ricardo Della Coletta - O Estado de S. Paulo

02 Junho 2014 | 18h 10

Deputado do SDD responde a dois processos por quebra de decoro, por envolvimento com doleiro preso; afastamento será remunerado

Citado na Operação Lava Jato por envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, o deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) alegou sofrer de problemas cardíacos e requisitou uma licença médica de 15 dias à Câmara dos Deputados. Na sexta-feira, 30, o parlamentar encaminhou à Mesa Diretora da Casa o pedido, que será enviado agora ao departamento médico para análise.

Como se trata de licença médica, o período de afastamento do parlamentar será remunerado.

Divulgação
BRASILIA DF NACIONAL - 30.out.2012 LUIZ ARGOLO Luiz Argolo. Deputado Luiz Argôlo FOTO Lúcio Bernardo Jr/Agência Câmara

Argôlo responde a dois processos por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara, sendo um protocolado pela Mesa e outro pelo PSOL.

Nos relatórios apresentados no colegiado, são citadas "fortes evidências de que o deputado Luiz Argôlo está envolvido com o doleiro Alberto Youssef e dele recebeu elevadas quantias de dinheiro". São mencionadas também mensagens interceptadas entre Argôlo e Youssef que "mostram que o doleiro, atualmente preso na carceragem da Polícia Federal do Paraná, pagou contas do deputado representado".

O relator dos processos, deputado Marcos Rogério (PDT-RO), também apontou que Youssef teria transferido R$ 120 mil ao chefe de gabinete de Argôlo, Vanilton Bezerra. "As condutas, em tese, configuram ato atentatório ao decoro parlamentar e há indícios suficientes de materialidade e autoria", escreve.

O conselho tenta atualmente notificar Argôlo de que há um processo correndo contra ele enviado pela Mesa. Caso o colegiado não consiga notificá-lo até o final desta semana, o aviso pode ser publicado no Diário Oficial do Legislativo, momento a partir do qual começa a correr o prazo de 10 dias úteis para que Argôlo apresente sua defesa.

A licença médica do deputado não altera os prazos do conselho.