Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Após perder na Câmara, vice do PT fala em recomposição da base

Candidato petista, Arlindo Chinaglia, foi vencido pelo peemedebista Eduardo Cunha na eleição para presidente da Casa neste domingo

ERICH DECAT, O Estado de S. Paulo

01 Fevereiro 2015 | 21h08

O candidato derrotado na disputa pela presidência da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), deixou o plenário da Casa, em silêncio, logo após a anuncio da vitória de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O peemedebista venceu no primeiro turno com 267 votos. Rodeado por integrantes do PT e do PCdoB, Chinaglia se dirigiu ao gabinete e não quis comentar o desfecho da votação. "Deixa baixar o calor do momento", interveio a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Ao chegar ao gabinete de Chinaglia, o vice-presidente do PT e deputado federal, José Guimarães (CE), afirmou que o momento é de reflexão. "É momento de lições, de repensar e de recompor a base", afirmou Guimarães.

Além da derrota para a presidência da Câmara, o PT também deve perder o comando das principais comissões em razão de o grupo que apoiou os petistas não ter conseguido formar um bloco que superasse o construído pelo PMDB.

Mais conteúdo sobre:
Câmara Arlindo Chinaglia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.