Assine o Estadão
assine

Política

PMDB

Após desistir de candidatura a líder do PMDB, Newton Júnior é disputado por Picciani e Cunha

Deputado mineiro foi convidado para almoçar nesta terça com Mauro Lopes, que é cotado para a Secretaria da Aviação Civil e defensor de Picciani e, à tarde, deve se reunir com o presidente da Câmara

0

Igor Gadelha e Daniel Carvalho,
O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2016 | 13h53

BRASÍLIA - Após desistir de disputar a liderança do PMDB na Câmara dos Deputados contra Leonardo Picciani (RJ) e Leonardo Quintão (MG), o deputado Newton Cardoso Júnior (MG) virou um dos principais alvos dos candidatos e seus articuladores em busca de apoio.

Defensor declarado da reeleição de Picciani, o deputado Mauro Lopes (MG) convidou Newton Júnior para almoçar nesta terça-feira, 19, em Brasília. Lopes foi sondado pelo Planalto para assumir a Secretaria da Aviação Civil (SAC) em troca do apoio dele e da bancada do PMDB de Minas a Picciani.

Pela tarde, Newton Júnior deve conversar com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que buscará o apoio do deputado mineiro ao terceiro candidato que pretende lançar para disputar a liderança do PMDB. O objetivo de Cunha é dificultar a reeleição de Picciani.

O presidente da Câmara tem em mãos uma lista com nomes de seis peemedebistas, entre os quais escolherá um para disputar com Picciani e Quintão a liderança do PMDB na Casa. A definição deve sair ainda nesta terça-feira.

Newton Júnior desistiu de ser candidato a líder do PMDB durante reunião da bancada do PMDB de Minas Gerais nessa segunda-feira, 18. Após mais de três horas de encontro, a bancada mineira do PMDB não chegou a um consenso sobre como se posicionar na disputa pela liderança da sigla na Casa.

Na reunião, três propostas diferentes foram discutidas: a candidatura de Newton, a de Quintão e o apoio à recondução de Picciani ao posto, como defendido por Mauro Lopes. Sem acordo, Newton retirou a candidatura, mas Quintão manteve sua postulação.

Diante do impasse, o presidente estadual da sigla e vice-governador de Minas, Antônio Andrade, liberou a bancada a votar no candidato que quiser

Comentários