1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Após deixar governo de PE, Campos chora em missa de ação de graças

Angela Lacerda, correspondente de O Estado de S. Paulo

04 Abril 2014 | 12h 25

Em celebração, marcada pelo próprio pré-candidato, padre pediu 'que Deus multiplique as bênçãos para a Presidência'

RECIFE - No dia seguinte à sua renúncia do cargo de governador de Pernambuco, o pré-candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) chorou em missa de ação de graças realizada nesta sexta-feira, 4, na Igreja de Casa Forte, no Recife. Acompanhado da mulher Renata e dos cinco filhos, ele se emocionou no término, quando o filho Pedro, o terceiro, pegou o microfone e cantou "Faz um milagre em mim", de Regis Danese. A celebração foi marcada pelo próprio governador.

Após ficar no cargo por 7 anos e 3 meses, Campos renuncia para disputar as eleições. A celebração teve a participação do vice, João Lyra Neto, que assume o cargo às 17 horas, secretários antigos e novos, que serão empossados às 15 horas na Assembleia Legislativa. Durante a homilia, o padre Edwaldo Gomes destacou a importância da gratidão a Deus e afirmou ser "presunção um governante querer governar sem Deus". "Que Deus multiplique as bênçãos para a Presidência", finalizou o padre, aplaudido pelos demais presentes, que lotaram o local. A família de Campos é frequentadora da Igreja de Casa Forte.

Antes de entregar o cargo a Lyra, Campos participa de cerimônia fechada para aposição de sua foto na galeria de governadores do Palácio do Campo das Princesas. Com ele, 33 políticos já comandaram o governo pernambucano. Sua foto ficará em frente às do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) e do seu avô Miguel Arraes.