Apesar da crise, PT tem aumento no número de filiados

Mesmo em meio à maior crise de seus 35 anos existência, assolado por denúncias de corrupção e desvios na Petrobras investigadas pela Operação Lava Jato, manifestações de rua e panelaços contra o partido e rejeição ao governo da presidente Dilma Rousseff, o PT registrou nos primeiros cinco meses deste ano um aumento considerável do número de filiados.

RICARDO GALHARDO, Estadão Conteúdo

24 Maio 2015 | 09h26

De acordo com dados do partido, foram 16.640 filiações até sexta-feira passada. O número é 81% maior do que as 9.187 adesões contabilizadas no mesmo período do ano passado.

?Reação?

Para a direção do partido, o fenômeno pode ser visto como uma reação às investidas de grupos e movimentos "da direita" contra o partido nas ruas.

"Setores da base social do PT saíram em defesa do partido. Para eles, a forma de reagir é a filiação", afirma o deputado estadual José Américo Dias, secretário nacional do Comunicação do PT.

Só em abril, mês em que o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto foi preso durante mais uma etapa da Operação Lava Jato sob suspeita de arrecadar dinheiro de propina para o partido por meio de doações de campanha e que 97 mil trabalhadores perderam seus empregos no Brasil, o PT ganhou 10.882 filiados, número 2.734% maior do que as 384 filiações registradas em abril do ano passado.

Segundo José Américo, outro fator que pode ter provocado o "fenômeno da filiação" é uma maior organização do partido nas redes sociais.

Preferência

O aumento do número de filiados registrado no período contrasta com a queda brusca da preferência do eleitorado pelo PT. O partido da presidente Dilma Rousseff continua sendo o mais querido do País, mas o porcentual de eleitores que dizem preferir o PT às demais legendas caiu de 22% em dezembro do ano passado para 12% em fevereiro deste ano, segundo o instituto Datafolha.

Esse índice de 12% na preferência é o menor nível já registrado pelo instituto. Em 2005, no auge do escândalo do mensalão, que atingiu o governo do petista Luiz Inácio Lula da Silva, o porcentual era de 15%.

Apesar de enfrentar crises em vários flancos, os números do PT continuam a impressionar. O partido conta, atualmente, com 1.740.110 filiados e está organizado em 84% dos municípios brasileiros, com 3.206 diretórios municipais e 1.494 comissões provisórias. No ano passado, a legenda estava presente em 56% das cidades do Brasil. O número de dirigentes municipais chegou a 51.549. Além disso, cerca de 149 mil novos filiados aguardam na fila para fazer os cursos de formação política obrigatórios para a formalização das adesões ao partido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
PT crise Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.