1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Anastasia deve se afastar em março para se candidatar ao Senado, diz Aécio

Marcelo Portela - O Estado de S. Paulo

09 Janeiro 2014 | 18h 14

A possibilidade é 'concreta', disse o presidente nacional do PSDB, após almoço com o governador de Minas e o vice; partido ainda não definiu candidato ao governo no Estado

Belo Horizonte - Presidente do PSDB e provável candidato à presidência, o senador Aécio Neves disse nesta quinta-feira, 9, que "há uma possibilidade concreta" de afastamento do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, até o final de março para se candidatar ao Senado. O tucano, no entanto, não confirmou quem seria o candidato do partido ao governo do Estado.

Aécio almoçou com Anastasia e o vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP) na sede do governo e afirmou que essa é a discussão "mais objetiva" em torno da sucessão estadual. "Estamos discutindo a permanência ou não do governador Anastasia até o fim do mandato. Não há uma definição tomada, mas há uma possibilidade concreta de afastamento do governador Anastasia no fim de março", disse, após o almoço.

"Confirmando-se essa possibilidade, que eu diria que caminha para a maior probabilidade, o vice-governador assume o mandato", acrescentou.

Coelho foi um dos nomes cogitados para disputar a sucessão ao governo de Minas, ao lado de tucanos como os deputados federais Marcus Pestana e Narcio Rodrigues. Aécio, no entanto, adiantou que há um "consenso" entre os aliados no Estado - a aliança em torno da eleição de Anastasia foi composta por 12 legendas - "de que o candidato a governador deve ser do PSDB". O nome preferido do senador, que precisa de um palanque forte no Estado para sua provável candidatura presidencial, é o do ex-ministro Pimenta da Veiga.

PSB. Sobre as articulações para a formação da aliança em Minas, Aécio defendeu uma espécie de "armistício" com o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que também já adiantou a intenção de participar da corrida presidencial em outubro.

Em Minas, o PSB integra a base do governo tucano desde a primeira eleição de Aécio para o governo, em 2002, e rachou com o PT para se coligar ao PSDB na reeleição do prefeito de Belo Horizonte, o socialista Marcio Lacerda, no ano passado.

Mas a direção do PSB mineiro já divulgou a intenção de lançar candidato ao governo mineiro para garantir palanque a Campos no segundo maior colégio eleitoral do País. "O PSB governa conosco. No que depender da minha vontade, da minha ação, o PSB deverá continuar conosco e acho que há espaço para isso. Mas é uma decisão do PSB", declarou Aécio, que confirmou a possibilidade de o PSDB apoiar um candidato do PSB em Pernambuco. "Não é impossível que isso ocorra, independentemente de isso ser uma moeda de troca. São as circunstâncias locais", concluiu o senador.